Foto: M&P

RTP2 fica mais de seis horas com zero espectadores e bate mínimo histórico

Foi uma época festiva desastrosa para a RTP2. O segundo canal já tinha registado o seu share mais baixo de sempre na véspera de Natal, com apenas 0,8%, mas 2019 ainda reservava ao canal público um novo mínimo histórico.

Lê também: ‘Terra Nossa’ é líder destacado no último dia do ano

Esta terça-feira (31) a RTP2 não foi além de uns residuais 0,5% de share, conseguindo de uma só vez baixar três décimas ao seu pior resultado de sempre. O resultado é particularmente negativo quando se verifica que, num dia em que a média do consumo televisivo esteve acima do habitual, a RTP2 esteve um total de 6 horas e 27 minutos sem um único espectador, de acordo com a medição da GfK.

Uma vez que a medição de audiências é feita por amostragem, o facto de nenhum dos lares com audímetro da GfK ter sintonizado a RTP2 durante este período não permite concluir que o canal tenha estado totalmente sem público, mas é um sintoma da falta de adesão à programação do canal dirigido por Teresa Paixão.

Ainda que uma parte significativa destes minutos a zeros se tenha registado na madrugada de segunda para terça-feira, um período com pouco peso no resultado diário, houve várias faixas horárias relevantes em a RTP2 bateu no vermelho.

Quase toda a primeira hora do espaço Zig Zag, entre as 7h04 e as 8h, esteve nos 0,0% de rating e 0,0% de share, por exemplo. Entre as 11h e as 17h a RTP2 voltou tocar nos zero espectadores de forma esporádica, sobretudo em alguns minutos isolados mas também em períodos mais prolongados, como entre as 11h40 e as 12h06, ou entre as 13h58 e as 14h14.

Um ano depois, o mesmo concerto no réveillon

As propostas da RTP2 para o dia 31 tinham alguns elementos diferenciadores da grelha habitual, mas o Zig Zag manteve-se durante a maior parte do daytime. O espaço infantil, que apostou em alguns filmes de animação, começou o dia com quase uma hora a zeros mas conseguiu recuperar, fechando com uma média de 0,1% de audiência e 1,3% de share no bloco matinal.

O bloco da tarde não teve a mesma sorte. Com os mais novos a virarem atenções para outros canais, nomeadamente para os filmes da SIC, o Zig Zag obteve uma média de apenas 0,2% de audiência e 0,5% de share entre as 17h14 e as 21h04.

À noite, Teresa Paixão apostou na estreia de A Revolta de Beja para as 21h05, um documentário sobre a tentativa de revolução ocorrida na passagem de ano de 1961 para 1962. O documentário conseguiu ficar acima da média do dia, mas não foi além de 0,4% de audiência e 0,9% de share. O resto da noite teve valores ainda mais modestos. O último episódio de Estado de Felicidade marcou apenas 0,2% / 0,4%, um resultado invulgarmente baixo para uma série da noite do canal.

A Dois entrou em 2020 com Uma Noite de Inverno – Sting ao Vivo na Catedral de Durham, que registou uma média de apenas 0,2% de audiência e 0,4% de share. O concerto de 2009 do cantor britânico voltou a ser a escolha do canal público para o réveillon, depois de ter estreado há precisamente um ano, a 31 de dezembro de 2018. Nesse dia as coisas correram bem melhor à RTP2, com o concerto de Sting a ter na altura mais do dobro da audiência (0,4% / 1,1%), e o canal a registar 1,3% de share diário.

Foi um final particularmente negativo para um ano que até nem correu mal à RTP2. O canal conseguiu inverter a tendência de queda nas médias anuais, subindo a sua quota de mercado para 1,5%, mais uma décima que em 2018. Lê aqui o resumo dos resultados de 2019.

Dados Live+Vosdal da GfK referentes a 31 de dezembro de 2019.

Atualizado a 02/01 com valores finais.

Mais Artigos
Cuties Netflix
Realizadora diz que ‘Cuties’ mostra adolescência moderna