Crítica: Não há absolutamente nada de bom em ‘Cats’

A adaptação do musical da Broadway chega quinta-feira (26) aos cinemas portugueses, mas o alarido à volta do filme não corresponde, de todo, à sua qualidade. Cats é péssimo.

É uma das produções mais famosas da Broadway, mas nunca foi muito consensual entre os críticos desde a sua estreia em 1982. Porém, parece que a crítica do filme é unânime. Cats não só é um mau filme, como é um filme que não acrescenta nada ao cinema e que não deveria ter sido feito.

Protagonizado por estrelas com Idris Elba, Judi Dench, Ian McKellen e Jennifer Hudson, Cats conta ainda com as tristes participações de Rebel Wilson, James Corden e a dispensável Taylor Swift.

Quando surgiram as primeiras imagens da adaptação cinematográfica, levantou-se de imediato uma onda de comentários negativos ao visual assustador que foi atribuído às personagens, que se solidificam algures entre o mutante humano e o gato. Aí, no entanto, até se perdoa. Pode ter sido uma opção artística para se manter fiel ao musical da Broadway, cuja caracterização também é aterradora.

A versão de ‘Cats’ na Broadway, em Nova Iorque.

No entanto, o visual do filme consegue ser ainda pior e elevado ao extremo do assustador, e por duas razões. A primeira, simples, por se tratar de um filme cujo orçamento foi cerca de 95 milhões de dólares (cerca de 90 milhões de euros). A segunda, porque mesmo apesar de não se esperar algo de bom, conseguiu vir algo pior ainda. E o mais triste de tudo é que o orçamento do filme parece ter sido gasto no elenco que tanto podia ser este, como outro qualquer, uma vez que todas as atuações são fracas, irritantes e extremamente cansativas.

Mas há mais. Pior do que se ver um filme do qual não se gosta, é ver um filme sobre o qual não se entende a história. Durante as suas duas horas de duração, os gatos de Cats passam cerca de 90% do tempo a cantar. É um filme a la Les Miserábles (também realizado por Tom Hopper), mas com a diferença que aqui não há nenhuma Anne Hathaway pronta a salvar o barco do naufrágio. Em Cats só existe um grande afundanço que aparentemente ninguém quis salvar.

Rebel Wilson é uma das estrelas de ‘Cats’.

As músicas são fracas e os números musicais parecem gozar com a paciência do espectador, de tão repetitivos e descontextualizados que são. Taylor Swift é promovida até à exaustão como uma das caras do elenco, mas a verdade é que até a sua participação em Hannah Montana: O Filme é mais digna do que a participação em Cats. A sua entrada em cena é tão fora de tom quanto a sua saída, que deverá ter acontecido por terem gastado todo o budget em tornar a atriz principal –  Francesca Hayward – irreconhecível.

Macavity, o tema interpretrado por Taylor Swift, não só é das atuações mais bizarras de todo o filme, como é também uma música que não dá qualquer vontade de ser ouvida pela segunda vez. E acontece já bem perto do final do filme, numa altura em que o espectador já está tão estafado que continuar a ouvir as músicas do musical é um verdadeiro pesadelo. Na verdade, Cats funcionaria bem como filme de terror, porque a única coisa que nos dá é medo. E vergonha.

Taylor Swift interpreta a canção ‘Macavity’ e depois… Desaparece.

Há que destacar, contudo, a participação de Jennifer Hudson no filme e a sua interpretação de Memory. É, talvez, o ponto alto da longa-metragem. Mas não chega.

Centrado na gata Victoria (Francesca Hayward) e na sua recente vida de rafeira após ser abandonada nas ruas, Cats foca-se numa competição de talentos dos gatos Jellicle, um termo que supostamente os define, mas que nunca é explicado durante as duas horas. O que é um gato Jellicle? Não sabemos. E já nem temos vontade de vir a saber.

Enterrar um grande elenco em maquilhagem e efeitos visuais é um erro que não deve voltar a ser cometido pelo realizador, após as fortes críticas. Porém, mais grave ainda, é tornar a atriz protagonista totalmente irreconhecível para o público, mas tornar pequenas participações como a de Taylor Swift dignas de cartaz e de publicidade, sendo que até a nível visual Swift surge tal como é. Apenas com uns pêlos a mais.

O filme conta a história da gata ‘Victoria’ e da sua adaptação às ruas.

No cômputo geral, Cats é um daqueles filmes que nunca resultaria, pelo simples facto de ser desnecessário. É bom ver que os musicais estão a regressar lentamente ao grande ecrã, mas apostar nesta adaptação da Broadway esteve longe de ser uma boa ideia. Infelizmente, Cats é apenas um musical para ser apreciado de olhos fechados. Se aguentarmos.

Título original: Cats
Realização: Tom Hooper
Argumento: T.S. Eliot
Elenco: Francesca Hayward, Taylor Swift, Idris Elba, Rebel Wilson, Judi Dench, Jennifer Hudson, Ian McKellen, James Corden
Género: Comédia, Drama, Musical
Duração: 110 minutos

LÊ TAMBÉM: OS MELHORES 10 EPISÓDIOS ESPECIAIS PARA ENTRARES NO ESPÍRITO NATALÍCIO
Reader Rating6 Votes
1.9
Mais Artigos
4 filmes para assinalar o Dia Mundial Contra o Tráfico de Pessoas