Os Red Hot Chili Peppers anunciaram o regresso do aclamado guitarrista John Frusciante. É o segundo retorno do músico à formação do grupo norte-americano.

Numa publicação na rede social Instagram, a banda confirmou o despedimento de Josh Klinghoffer, guitarrista recrutado em 2009 para substituir John Frusciante. O músico estava focado na sua carreira a solo.

O regresso do músico não supõe ainda novo disco dos norte-americanos. Josh Klinghoffer, agora ex-guitarrista da banda, esteve na banda durante dez anos e gravou dois álbuns de estúdio (I’m With You e The Getaway, de 2011 e 2016, respetivamente).

Os Red Hot Chili Peppers, com Klinghoffer, atuaram apenas uma vez em solo nacional, no festival Super Bock Super Rock em 2017.

Segundo regresso de Frusciante

John Frusciante entrou na banda pouco depois da morte de Hilel Slovak, um dos responsáveis pela sonoridade dos Red Hot Chili Peppers na década de 1980. Em 1989, o grupo edita Mother’s Milk, um álbum que representou um passo importante na carreira dos norte-americanos.

Depois disso, o grupo lança, dois anos depois, Blood Sex Sugar Magik, um dos mais discos mais celebrados dos Red Hot, que inclui temas como Under the Bridge e Give it Away. Em 1992, o guitarrista sai da banda por problemas ligados ao consumo de drogas.

O processo de reabilitação durou seis anos e, nesse tempo, a banda compõe One Hot Minute com Dave Navarro no lugar de John Frusciante. Em 1999, os Red Hot Chili Peppers editam Californication, um dos discos com maior sucesso comercial, tendo vendido mais 15 milhões de exemplares em todo o mundo.

Nesse tempo, a banda lança mais dois trabalhos até uma nova saída de Frusciante, desta vez, por diferenças artísticas. Desde então, o músico tem estado focado noutros projetos musicais.

John Frusciante tem sido aclamado pela crítica e pelos fãs. Em 2003, o guitarrista ficou na 18.ª posição na lista dos 100 melhores guitarristas de sempre para a revista Rolling Stone.