Após o tremendo sucesso do primeiro filme, a comédia francesa Que Mal Fiz Eu a Deus Agora? chegou esta quinta (5) às salas de cinema portuguesas, com mais aventuras da família Verneuil.

Fonte: Divulgação

Em 2014, o filme Que Mal Fiz Eu a Deus? encheu salas de cinema com a história dos conservadores e chauvinistas Claude e Marie Verneuil, e das suas quatro filhas. Após o casamento das três filhas com homens de nacionalidades e religiões diferentes – Rachid, um advogado argelino muçulmano, David, o empreendedor judeu, e Chao, um banqueiro chinês -, o casal espera que a filha mais nova, Laure, case com alguém mais parecido com eles. É por isso que, com grande expectativa, ficam aliviados por saber que Charles, o novo namorado da filha que ela conheceu nos Estados Unidos, é católico e rico. Mas o seu racismo fica evidente quando o conhecem e descobrem que ele é costa-marfinense.

O primeiro filme trata com humor tipicamente francês a xenofobia e racismo na sociedade francesa ao olhar para os Verneuil enquanto eles não só digerem a notícia do noivado de Laure e Charles, mas também quando conhecem a família de Charles – os Koffi -, especialmente o seu pai, um militar igualmente rígido que guarda rancor pela colonização europeia do continente africano.

No novo filme, vários anos passaram. Já com netos e com Laure grávida, os Vernueil retornam a casa após uma viagem em que visitaram os países de origem dos seus genros – Argélia, Israel, China e Costa do Marfim -, e são apanhados de surpresa pela notícia de que os quatro genros planeiam emigrar, juntamente com toda a família. Os Koffi, estando em Paris para o nascimento do seu neto, também não estão felizes com a notícia: Charles e Laure pretendem mudar-se para a Índia após o nascimento do filho. Por isso, Koffis e Vernueils unem-se para provar aos quatro casais por que devem ficar na França, e têm até ao nascimento do novo neto para o conseguir.

Que Mal Fiz Eu a Deus Agora? já está em exibição nas salas de cinema em Portugal,