Taylor Swift
Fonte: John Salangsang / Shutterstock

‘Miss Americana’: Documentário sobre Taylor Swift abre o festival Sundance

Conhecer mais sobre Taylor Swift passará a ser tarefa fácil com o documentário Miss Americana, uma produção da Netflix sobre o percurso da artista. A plataforma anunciou a estreia da longa-metragem para 23 de janeiro de 2020 no primeiro dia do festival de cinema Sundance. O filme irá integrar um alinhamento dominado por fortes mensagens de poder feminino.

De acordo com a conta oficial de twitter da Netflix, os fãs podem esperar “um olhar cru e emocionalmente revelador sobre uma das artistas mais icónicas do nosso tempo”. Taylor será retratada em plena jornada de autodescoberta, à medida que aprende “a abraçar o seu papel não só como escritora e intérprete, mas também como mulher, tirando proveito do enorme poder da sua voz”.

Miss Americana junta uma conceituada equipa, encabeçada pela vencedora de um Emmy, Lana Wilson, realizadora da película. Outros nomes sonantes envolvidos na produção residem na dupla vencedora de Oscars, Morgan Neville e Caintrin Rogers, bem como Christine O’Malley, conhecida por películas como Wordplay (2006) e I.O.U.S.A (2008).

Os detalhes sobre o projeto surgem no seguimento de alegações contra os empresários Scott Borchetta e Scooter Braun, devido à sua monopolização do espólio musical de Swift. Nenhum dos seus sucessos antigos está autorizado a integrar Miss Americana, impasse que pode vir a prejudicar futuros espetáculos da cantora. Em declarações no twitter, a artista revelou a falta de colaboração dos empresários no filme, empenhados em “exercer controlo tirânico sobre alguém que só quer tocar a música que escreveu”.

Espera-se que Miss Americana responda aos atuais mistérios que envolvem a vida de Taylor, algo que a cantora indiciou no seu terceiro discurso de agradecimento nos American Music Awards.

“O último ano da minha vida teve alguns dos melhores momentos, mas também algumas das coisas mais difíceis pelas quais passei. A maioria destas são coisas que ainda não foram faladas em público”, afirma.

Ainda é cedo para a divulgação do documentário nas plataformas de streaming, no entanto tudo indica que este ficará disponível no início do próximo ano. Até lá, há tempo para alguma preparação, nomeadamente ouvir o reportório completo da artista, incluindo o seu mais recente álbum de estúdio Lover.

Mais Artigos
Júlio Isidro
Júlio Isidro confirma que está infetado com Covid-19