O poker é um desporto que cresceu a nível mundial há pouco tempo. A modalidade passou a ter o status que tem hoje há alguns anos e isso só foi possível com a tradição já consolidada de alguns países que destacam-se consistentemente, como é o caso dos Estados Unidos, do Canadá, da Rússia, da Inglaterra, da Suécia e do Brasil.

Esses seis países citados formam a elite do poker, mas como ele é um desporto em constante evolução estratégica e que está a crescer em alto ritmo, tudo isso faz com que novos países ocupem posições cada vez maiores no cenário mundial.

Entre os países emergentes do poker, Portugal certamente aparece entre os principais. Se há 15 anos a modalidade era reservada apenas para um pequeno grupo de praticantes, a realidade mudou e o jogo já é conhecido de norte a sul. Tudo começou com competidores como João Nunes, com a criação do Solverde Poker Season em 2006 e o progresso aconteceu naturalmente.

O que faz Portugal ser uma potência em ascensão no poker mundial são os seus óptimos jogadores, assim como a presença de circuitos que fomentam a prática do desporto, como é o caso de ECT Poker Tour e do Solverde Poker Season.

Neste artigo, citamos alguns dos principais competidores de poker do país com os seus melhores feitos já realizados nesse desporto das cartas.

Diogo Veiga e o primeiro título nas World Series of Poker

Diogo Veiga foi o único português entre os nove primeiros em sua conquista em Las Vegas (Fotografia: Danny Maxwell / Pokernews)

Até ao ano passado, nenhum jogador português tinha conquistado uma bracelete nas World Series of Poker. Isso mudou com Diogo Veiga, que escreveu seu nome nos livros de história com uma vitória em Las Vegas.

O título veio no fim da competição, com o evento número 54 do circuito. A conquista realizada através da modalidade Texas Hold’em foi simplesmente impressionante. Diogo Veiga precisou derrotar mais de mil adversários para ficar com a maior vitória de sua carreira.

Ao conquistar o título, o jogador obteve o maior prémio de sua trajetória no poker com a quantia de 522 mil dólares. Diogo deu continuidade ao título das World Series of Poker do ano passado e neste ano está a ser um dos principais jogadores portugueses no cenário internacional. Segundo o Global Poker Ranking (GPI), ele é o sexto melhor português desta época.

A vitória de João Vieira nas World Series of Poker

João Vieira a celebrar nas mesas de Las Vegas (Fotografia: Pokernews)

João Vieira provou que o título de Diogo Veiga nas World Series of Poker do ano passado esteve longe de ser uma simples coincidência. Amplamente reconhecido por ser um dos melhores jogadores portugueses de sempre, João Vieira conquistou a bracelete neste ano.

O título de João Vieira trouxe ainda mais retorno do que o de Diogo Veiga. Ao vencer o torneio das World Series of Poker deste ano, o jogador ganhou cerca de 750 mil dólares na maior premiação da sua carreira.

Ganhar cinco braceletes é um dos meus principais objetivos. Esta foi a primeira e é um grande peso que me sai dos ombros”, revelou João Vieira após o título.

O português não é reconhecido no poker mundial apenas por causa do seu título nas World Series of Poker. João Vieira conta com muitas conquistas em sua carreira, como o UKIPT de 2013, o ESPT de 2014, o PCA de 2016 e o UKIPT de 2016.

Muito experiente nos torneios de poker, João Vieira já viajou o mundo a jogar poker. Entre os países que o português já visitou, estão Inglaterra, Irlanda, Estados Unidos, Mónaco, Bahamas, República Checa, Brasil e vários outros.

Em 2019, João Vieira é o líder do GPI entre os jogadores portugueses. Caso ele termine o ano assim, será a terceira época desde 2015 que ele conquista o ranking do país.

A carreira em ascensão de Pedro Marques

Portugal conta com novos excelentes jogadores de poker e um deles é Pedro Marques. Muitos que frequentam as mesas de cartas no país já conhecem o nome do competidor há tempos, mas ele começou a destacar-se internacionalmente a partir de 2015.

Há alguns anos no cenário do poker mundial, Marques vive a melhor fase de sempre em sua trajectória profissional nas cartas. Neste ano, por exemplo, o português conquistou uma etapa do European Poker Tour realizada em Barcelona.

Foi o segundo ano consecutivo de óptimo desempenho no European Poker Tour de Barcelona. Em 2018, Pedro Marques chegou a comparecer à mesa final do Main Event, quando terminou com a quarta colocação em um torneio com mais de 1.400 competidores. Nessa ocasião, o português ficou com o prémio de €698 mil.

Pedro Marques está atrás apenas de João Vieira entre os jogadores portugueses melhores ranqueados no GPI em 2019.

A versatilidade de Luís Faria

Luís Faria é um dos melhores portugueses no poker há anos (Fotografia: Pokernews)

O poker online também é forte em Portugal e há jogadores que conseguem destaque. Os principais competidores estão em Coimbra, como é o caso de Luís Faria, atual líder do ranking português.

Poucos jogadores conseguem conciliar a vida do poker online com os torneios disputados em estabelecimentos físicos. Luís Faria é um desses competidores e é sinónimo de versatilidade.

O competidor de Coimbra lidera o ranking online português e no ano passado chegou a estar entre os 110 melhores de todo planeta. Neste ano, actualmente Luís Faria é o número 132 do mundo.

Além de ser o número um do país no poker online, ele aparece com a terceira colocação no ranking do GPI, atrás apenas de Pedro Marques e João Vieira, respetivamente. Aliás, não é a primeira vez que Luís Faria ocupa posição de destaque. No ano passado, o jogador também ficou com a terceira colocação do GPI ao terminar a época nessa posição.

Ele é a representação de como um jogador dedicado ao jogo pode ter sucesso. Só em torneios online, Luís Faria conquistou mais de 2,5 milhões de dólares e nos eventos realizados em estabelecimentos físicos a premiação é de 473 mil dólares.

Esses quatro jogadores representam o que há de melhor no poker português. Vale mencionar que todos esses citados ainda são bem jovens e devem seguir a representar o poker nacional em excelente nível por muito tempo.