Artigo patrocinado.

As estratégias de marketing das empresas mudaram: se antigamente tudo passava por criar uma conta nas principais redes sociais, hoje o marketing de influência tem tomado lugar – e oferecido excelentes resultados.

O processo é simples. As marcas entram em contacto com o influenciador digital que está de acordo com os seus objetivos e os profissionais criam publicações com o objetivo de influenciar os seus seguidores a optarem pela marca.

Já o processo por parte dos influenciadores digitais não é tão simples. Estes precisam crescer as suas métricas e, mais importante, melhorar a sua interação com os seguidores. Desta forma, a influência irá acontecer com naturalidade.

Queres entender um pouco melhor?

Porque é que as marcas trabalham com influenciadores digitais?

Estamos numa era em que a influência está maioritariamente no digital. Sendo assim, os profissionais que se destacam no digital, influenciam os utilizadores da internet. Essa influência leva à tomada de ação, ou seja, à compra de produtos/serviços das marcas que investiram.

Este marketing de influência já não deve ser visto como uma possibilidade, mas sim como uma necessidade para quem quer alcançar o maior número de pessoas possível.

Queres um exemplo prático?

Vamos dar o exemplo de Rui Duarte Catana, um influenciador digital na área de fitness e bem-estar. O seu conteúdo é muito bom e realmente motivacional, o que, provavelmente, é o que mais atrai os seus seguidores. Criada uma ligação, a influência acontece de forma natural.

O seu conteúdo conseguiu atrair, ainda, algumas marcas, como MW Bodywear – uma marca de fatos de banho – ZUMUB – loja online de suplementos –, Protty – marca de pão proteico –, HeraxHero – roupa fitness – e Visão de Prata – uma ótica no Algarve.

Resumindo, os influenciadores digitais estão a marcar a história do marketing e publicidade e apostar nesta forma de divulgação é, atualmente, muito importante e vai oferecer excelentes resultados.

Para se ser influenciador é necessário um grande número de likes?

Há uns tempos, quando o marketing de influência estava no seu início, o número de likes era muito importante. Essa era a forma de medir a “influência” dos profissionais, mas hoje em dia as métricas não são tudo.

Se tem dúvidas, temos um exemplo simples: pense neste novo teste no Instagram. É uma questão de tempo até que as métricas deixem de ser uma realidade, mas, ao contrário do que se pode pensar, não significa o fim dos influenciadores.

A realidade é que agora há espaço para fatores mais importantes, como a qualidade do conteúdo ou o nível de interação do influenciador com os seus seguidores.

Afinal como uma marca escolhe trabalhar com um influenciador?

Não vamos mentir, muitas marcas ainda olham para as métricas, mas outras vão além de meros números. Muitas marcas selecionam um influenciador com base nos seus objetivos e em outros fatores relacionados com o influenciador.

Se o objetivo da marca for influenciar a decisão de compra, os influenciadores escolhidos devem demonstrar uma relação próxima com os seus seguidores, publicarem com alguma regularidade e mostrarem conhecimento ou experiência no reconhecimento de necessidades e na busca de informação.

Já se o objetivo for manter a lealdade dos consumidores, será necessário um influenciador digital que realize avaliação de produtos, mostre uma boa relação com os seus seguidores, tenha credibilidade na área de atuação, muitos seguidores e histórico de influência na decisão de compra.

Claro que juntando a toda a informação acima, será necessário um excelente conteúdo que, só por si, influencie o consumidor, mesmo que o número de likes não seja surpreendente. Para tal, o conteúdo deve mostrar alguma transparência, algo muito bem conseguido por @ruiduartecatana.

Existe um preço padrão para a parceria?

Com uma pesquisa rápida, vais encontrar diversos estudos sobre o orçamento disponível por parte da média das empresas. Também vais encontrar tabelas com preços praticados por influenciadores de acordo com o seu número de seguidores.

No entanto não existe um valor padrão. Esse valor deve ser acordado entre o influenciador e as marcas, mas o influenciador deve lembrar-se do trabalho que tem todos os dias para manter o interesse do seu público e ter um preço compatível com tal.

A conclusão a que queremos chegar é que likes são importantes por mostrarem o alcance que o influenciador tem, mas mais importante são fatores como a interação, a qualidade de conteúdo e a frequência de publicação. Tendo em conta estes fatores, será possível ter uma excelente campanha online.