O vencedor do ano passado do Prémio Sakharov, o cineasta ucraniano Oleg Sentsov, cuja libertação aconteceu a 7 de setembro, depois de cinco anos preso na Rússia, recebe finalmente o galardão na próxima terça-feira (26) em Estrasburgo.

O realizador estava preso na Rússia, mais precisamente numa zona remota da Sibéria, quando o Parlamento Europeu anunciou em 2018 que o cineasta acabara de vencer o Prémio Sakharov, uma distinção atribuída desde 1988 pelo Parlamento Europeu a organizações ou pessoas que se destacam na defesa dos direitos humanos e das liberdades fundamentais.

O realizador ucraniano cumpria uma pena de 20 anos, por alegadamente “planear atos de terrorismo” durante a anexação da península da Crimeia por parte da Rússia. Em setembro do ano passado, o cineasta chegou a ser internado durante quatro meses devido a uma greve de fome, o que levou ao aumento dos apelos à sua libertação por parte de vários líderes internacionais. Um ano mais tarde, Oleg Sentsov foi libertado, muitos meses depois de vencer o Prémio Sakharov.

Com a sua coragem e determinação, colocando a sua vida em risco, Oleg Sentsov tornou-se um símbolo da luta pela libertação dos presos políticos mantidos na Rússia e em todo o mundo. Ao atribuir-lhe o Prémio Sakharov, o Parlamento Europeu manifesta a sua solidariedade. Pedimos que seja libertado imediatamente. A sua luta relembra-nos que é nosso dever defender os direitos humanos em todos os lugares do mundo e em todas as circunstâncias“, referiu o presidente do Parlamento Europeu, António Tajani, aquando do anúncio da vitória.

Na cerimónia do ano passado, Sentsov foi representado pela sua prima, Natalya Kaplan, e pelo seu advogado, Dmitriy Dinze, mas é só na próxima terça-feira pelo meio-dia, em Estrasburgo, França, que o cineasta colocará as suas mãos no galardão. O Espalha-Factos acompanhará, no local, a entrega da distinção.

LÊ TAMBÉM: DIA MUNDIAL DA TELEVISÃO: OS PROGRAMAS MAIS MARCANTES DA DÉCADA