Longe vão os tempos em que a SIC Radical se dedicava a fazer transmissões exaustivas dos maiores torneios de poker em direto. A estação de televisão pode ter ajudado a modalidade de casino a tornar-se mais popular do que nunca no nosso país, mas por algum motivo deixou de reservar um espaço da sua programação para a transmissão de conteúdos relacionados com o mais popular jogo de cartas do mundo.

Num momento em que se observa com cada vez mais notoriedade um crescimento do poker em Portugal, principalmente ao nível do desenvolvimento de uma comunidades de jogadores online, o timing parece o mais acertado para se voltar a apostar na transmissão de torneios ao vivo, programas da especialidade, e magazines dedicadas. Os velhos preconceitos associados ao poker – frequentemente visto como um ‘mau hábito’ dos frequentadores habituais de casinos – estão hoje em dia completamente dissipados, dando por sua vez lugar a fóruns de especialidade, milhares de jogadores profissionais em todo o mundo, e até mesmo a discussões que equacionam uma inclusão da modalidade nos Jogos Olímpicos. Com isto em mente, decidimos operar uma reflexão profunda acerca da actualidade do poker português, com um foco nas várias razões pelas quais faz sentido voltar a ver jogos de poker ao vivo nas televisões nacionais.

Os portugueses são fanáticos pelo desporto

Tal como o futebol, o poker é um domínio alimentado por milhares de fãs fanáticos, onde os melhores profissionais são idolatrados e celebrados por aqueles que aspiram a melhorar as suas qualidades como jogador, tal como acontece com o futebol. O poker pode por isso atrair bastante interesse no contexto de uma programação televisiva. As velhas transmissões dos torneios do EPT (European Poker Tour) e da WSOP (World Series of Poker) que eram transmitidos pela SIC Radical causaram bastante impacto no seu tempo, mas seriam muito mais pertinentes nos dias de hoje. O número de profissionais da modalidade em Portugal aumentou muito ao longo da última década, e hoje em dia o poker já é tido como um desporto sério, onde uma comunidade interessada e activa luta todos os dias no sentido de estabelecer regras, padrões, e comportamentos generalizados, do mesmo modo que acontece com todos os desportos organizados. Ao poker falta apenas uma federação mundial, assim como um suporte televisivo legítimo e recorrente. Porque afinal, espectadores não faltarão, mesmo num país ‘pequeno’ como Portugal.

Acabar de uma vez por todas com o estigma

Sim, o preconceito em relação ao poker, e principalmente em relação aos profissionais do clássico jogo de cartas, já não se compara àquele que se fazia sentir há cerca de 20 anos atrás. Não obstante, é fulcral perguntar não só o que o poker pode fazer pelas networks e canais de televisão de Portugal e do mundo, mas também o que estes podem fazer pelo poker. Do mesmo modo que determinadas modalidades não teriam a mesma aceitação global caso não fossem alvo de recorrentes transmissões televisivas (basta pensar em desportos como o tiro ao alvo ou o jogo dos dardos) se pode afirmar que a constituição de uma sólida base de transmissões televisivas em muito poderia contribuir para a crescente legitimação do poker. Pelo menos os grandes torneios, que são frequentemente assistidos por fãs de todo o mundo através de plataformas digitais ‘improvisadas’, precisam urgentemente deste serviço público, para que possam de uma vez por todas fincar os pés numa estrutura oficial e aberta ao público.

Atrair novos jogadores

A proliferação do poker online em Portugal, catapultada por grandes serviços virtuais que se destacam noutro tipo de jogos de sorte e azar (como, por exemplo, casinos virtuais) é em grande medida responsável pela criação de uma comunidade de jogadores jovens. No entanto, a estratégia comercial de muitos destes serviços pode estar especialmente designada para atrair jogadores muito jovens. Recentemente, uma polémica envolvendo alguns dos mais célebres YouTubers portugueses expôs precisamente esta tendência. Colocar o poker na televisão podia ser uma das maneiras mais eficazes de desviar este foco promocional sobre os mais novos, e procurar convencer e atrair indivíduos mais velhos – como por exemplo, todos aqueles que recebem com mais frequência as suas notícias e entretenimento através da televisão, em prol daqueles que usam essencialmente a Internet.

Streamers e Coachers

O potencial para o poker na televisão não se esgota na transmissão ao vivo de grandes torneios e competições, embora esta deva claramente ser encarada como a prioridade. Uma rápida pesquisa online revela que existe muito interesse entre o público de poker, e entre o público português em particular, por todo o tipo de conteúdos relacionados com a popular modalidade de casino. Para além dos streamers, jogadores profissionais que expõe através de plataformas como o Twitch as suas sessões de jogo, frequentemente para milhares de espectadores, o mundo do poker está ainda repleto de fenómenos complementares como o dos coachers. Cursos e vídeos de coaching de poker são cada vez mais procurados, naquele que é um resultado natural do crescente interesse na modalidade, sendo que muitos potenciais profissionais estão dispostos a pagar para aprender a desenvolver as suas habilidades.