A CISION publicou esta quarta-feira (20) um estudo em que identifica Fátima Campos Ferreira como a jornalista mais influente nos media tradicionais e Ricardo Costa, diretor de informação da Impresa, como o jornalista mais influente nos media sociais.

Esta investigação, feita pelo Centro de Estudos dos Povos e Culturas de Expressão Portuguesa (CEPCEP) da Universidade Católica Portuguesa, ordenou os candidatos de acordo com critérios como o seu “capital editorial” e “projetos fora do jornalismo” no caso dos media tradicionais, e ainda indicadores relativos aos seus perfis nas redes sociais quando analisada a influência nos media sociais. Neste último caso, os dados tidos em conta foram recolhidos até agosto de 2019.

Lê também: Gravações e streaming: Séries são mais vistas nos primeiros sete dias de exibição

A apresentadora do programa de debate Prós e Contras lidera a listagem quando são tidos em conta os meios de comunicação social tradicionais, sendo depois seguida por José Alberto Carvalho (Diretor do Comité Editorial da Media Capital), Alexandra Borges (jornalista da TVI), José Gomes Ferreira (diretor adjunto de informação da SIC), José Rodrigues dos Santos (pivô do Telejornal da RTP1), Manuela Moura Guedes, Miguel Sousa Tavares, João Fernando Ramos (pivô do Jornal 2), Carlos Vaz Marques (TSF) e Clara de Sousa, que fecha o top10. Nomes como Rodrigo Guedes de Carvalho (38.º), Judite Sousa (17.º) e Sandra Felgueiras (13.º) também constam na lista completa.

Na presença online, a vantagem surge para dois jornalistas que ficaram arredados do top10 nos media tradicionais: Ricardo Costa e José Manuel Fernandes (publisher do jornal Observador). Em terceiro lugar do pódio fica a pivô Clara de Sousa (Jornal da Noite), seguida depois por Carlos Vaz Marques (TSF), Ricardo Martins Pereira (MAGG), Nuno Matos (Antena 1), João Fernando Ramos, Henrique Monteiro (cronista do Expresso), Pedro Santos Guerreiro (ex-diretor do Expresso) e Fernanda Câncio (DN).

A líder nos media tradicionais, Fátima Campos Ferreira, surge apenas em 25.º lugar nesta segunda listagem. Fora do top10 ficam também nomes como José Gomes Ferreira (45.º), José Alberto Carvalho (30.º) e José Rodrigues dos Santos (12.º).