É já no dia 12 de novembro que High School Musical: The Musical: The Series vai estrear na Disney+, a nova plataforma de streaming da Disney. Além de ser um mockumentary com elenco renovado e novas músicas originais, a nova produção vai abordar de forma disruptiva a inclusão e diversidade da sociedade atual.

Entrevistado pelo TVLine, o criador e produtor executivo da série explicou que haverá representação LGBT na série, uma vez que trata o mundo do teatro musical. “Com a Disney+, há um sentimento de ‘Vamos jogar e correr riscos’. Em nenhuma fase da produção houve alguém a dizer-me ‘Por favor corta esta piada que goza com a Disney ou com o Zac Efron’. Ou ‘Por favor corta este momento sério que aborda um nível de autenticidade e diversidade que todos sabemos existir no mundo real’“, explicou Tim Federle.

O produtor revelou que a relação entre Carlos (Frankie Rodriguez) e Seb (Joe Serafini) “se vai tornar em algo que será simultaneamente relatable e talvez um pouco novo para a Disney“. Além disso, a protagonista, Nini (Olivia Rodrigo), é filha de um casal homoparental.

Sobre a saga de filmes estreada em 2006, o produtor diz “compreender os desafios de tentar apelar à audiência mais ampla possível sem irritar as pessoas“, quando questionado acerca da personagem de Lucas Grabeel (Ryan), que “era claramente gay“, de acordo com o entrevistador. “Não sinto que a minha série esteja a compensar por algo do passado, mas acho que é uma nova geração. Ter um elenco com jovens de 15, 16 e 17 anos implica não incluir nada que os faça revirar os olhos. Eles são teenagers reais a viver vidas reais“, acrescentou Federle.

A primeira vez que o Disney Channel deu o protagonismo à temática LGBT foi em 2017 com a série Andi Mack, onde um dos personagens principais assumiu ser homossexual aos amigos. Na altura, o desenvolvimento da série contou com a participação de especialistas e pedagogos.

Mockumentary” era a única solução

A série vai contar a história de uma nova geração de alunos de East High que vai encenar a peça de High School Musical num espetáculo escolar. No entanto, além desta ligação, haverá várias referências e Easter eggs sobre o filme original.

[Se não fosse um mockumentary] teria de ser um reboot ou um quarto filme. E, embora eu entenda a magia de o fazer, não sei se seria possível e realista juntar os atores de novo“, explicou o criador da série. Tim Federle mencionou The Office como uma referência nesta abordagem “de poder olhar para a câmara e dizer ‘Nós sabemos que isto é um bocado ridículo“.

A história vai passar-se na escola real que serviu de local de gravações para os filmes de High School Musical. À Entertainment Weeklyo criador assumiu pensar nos fãs originais, “cujas infâncias prometo não arruinar“. Tim Federle garantiu que todos os episódios terão referências e confirmou “um cameo de um membro do elenco original“. “Posso confirmar que vai acontecer, mas não posso dizer quem, nem quando. No entanto, é um novo começo com um novo elenco e eu quero contar histórias que estejam totalmente fora do universo de High School Musical e envolver as pessoas de outra forma“, acrescentou.

A série vai contar com novas versões de algumas músicas originais, como Breaking Free, We’re All in this Together e Stick to the Status Quo.

High School Musical: The Musical: The Series estreia no dia 12 de novembro, na plataforma Disney+ e vai ter episódios novos às sextas-feiras. Apesar de ainda não ter estreado, a série já foi renovada para uma segunda temporada.