Web Summit
Fotografia: Web Summit

Web Summit 2019 discute deveres de empresários e políticos na evolução tecnológica

O segundo dia oficial da Web Summit 2019 começou com duas conferências no Centre Stage. Os deveres das empresas e dos políticos na evolução tecnológica estiveram em destaque.

Brad Smith, presidente da Microsoft, foi o primeiro a pisar o palco da Altice Arena. A palestra focou-se na perspetiva empresarial sobre os desafios e obrigações do novo mundo  digital.

Para o líder da empresa norte-americana, vivemos numa “era extraordinária de mudança”, mas, ao mesmo tempo, numa “era de ansiedade”. O mundo está de olhos postos em quem trabalha no meio tecnológico, para que tomem as decisões certas.

Lê também: WEB SUMMIT 2019: PARA A WIKIPEDIA, A CRISE DA VERDADE É UMA “AMEAÇA EXISTENCIAL”

Brad Smith destaca que os responsáveis da indústria têm de “avançar a tecnologia enquanto preservam valores intemporais”. Um deles é a privacidade, “um direito humano fundamental”. É  preciso ter em conta o poder que se tem em mãos, pois “qualquer ferramenta pode tornar-se numa arma”.

Foi em 1956 que o termo Inteligência Artifical surgiu pela primeira vez. Décadas depois, as máquinas estão a ganhar autonomia. “Temos de ser responsáveis”, avisa Brad Smith.

O presidente da Microsoft não duvida que “a tecnologia tem de resolver os grandes problemas do mundo”. “Cada um de nós tem de ter um papel. Temos de trabalhar juntos. É esse o desafio para a década que aí vem”, concluiu.

Web Summit
Fotografia: Web Summit

“Temos de ter a regulação adequada para a tecnologia” 

Depois de Brad Smith receber uma ovação, seguiu-se uma pequena conversa com Tony Blair, ex primeiro-ministro britânico, e Ro Khanna, membro da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos. Desta vez, discutiu-se o papel dos políticos no mundo tecnológico.

“O governo deve ser ativo”, começa Blair. O antigo chefe de governo acredita que os políticos devem ter um papel imprescindível na legislação tecnológica, pois ela deve ser “transversal a todas as áreas políticas”.

O Brexit foi descrito por Blair como uma “tragédia”, até porque é “uma distração dos grandes problemas”. Um deles é a criação de emprego através do uso da tecnologia, algo de que Blair diz que “ninguém fala”.

Lê também: WEB SUMMIT 2019: INFLUENCIAR, CRIAR E INOVAR SÃO OS LEMAS DO SEGUNDO DIA

Ro Khanna acrescentou que temos de ter a “regulação adequada” para a tecnologia. O político norte-americano sente que “o conhecimento legislativo não acompanhou a evolução tecnológica”.

O democrata acrescenta ainda que pressente que este tema não será debatido o suficiente nas eleições presidenciais americanas de 2020.

Web Summit
Fotografia: Web Summit

Tony Blair sente que a Europa e a América têm de “cooperar na ação tecnológica e tomar uma posição conjunta em relação à China”.  A União Europeia podia fazer muito mais na área da tecnologia, na opinião do britânico.

O interesse dos políticos nesta área é fundamental para combater as ameaças à Democracia. Populismo explora o pessimismo”, analisa. E, como conclusão, Tony Blair deixa uma mensagem esperançosa: “Eu sou otimista em relação ao futuro. A tecnologia será muito importante para derrotar o populismo”.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
SIC Páscoa
SIC anuncia programação especial para esta Páscoa