Joaquin Phoenix comentou finalmente as suposições acerca de uma possível sequela de Joker, que continua a liderar bilheteiras em Portugal e é o filme para maiores de 16 com melhores resultados de bilheteira em todo o mundo.

O ator, que tem sido aclamado pela prestação no filme de Todd Philips, nunca fez uma sequela antes. Ao LA Times adianta que não irá fazê-lo “só porque o primeiro filmes foi bem-sucedido“, acrescentando que isso “é ridículo“.

No entanto, admite ter falado sobre o tema com o realizador. “Muito antes do lançamento e até antes de termos qualquer ideia de que o filme ia ser bem-sucedido, falámos sobre sequelas“, adianta. “Na segunda ou terceira semana de gravações, eu estava tipo, ‘Todd, podes começar a trabalhar numa sequela? Há demasiadas coisas para explorar.’ Eu estava na brincadeira — mas não era a sério“.

Não falámos muito disso“, explicou Todd Philips. “Só falámos do facto de que se alguma vez fizéssemos uma — e eu não estou a dizer que estamos a planeá-lo, porque neste momento não estamos — não podia ser um filme selvagem e louco sobre o ‘Palhaço Príncipe do Crime’. Isso não nos interessa. Tinha de ter alguma ressonância com os temas que tratámos neste filme”, continuou.

Lê também: Crítica: ‘Joker’ é um dos melhores filmes da década

Eu acho que é por isso que o filme se ligou [à audiência], além de todo o ruído e loucura do último mês e meio. Eu acho que a razão pela qual está a ter repercussão é devido ao que acontece ‘por baixo’ do filme. Há muitos filmes sobre a faísca e este é sobre o pó. Se conseguires captar isto novamente, de uma forma real, seria interessante“, equaciona o realizador.

O final do filme, com Arthur Fleck a deambular pelos corredores do Hospital Estatal de Arkham, abriu espaço para discussões em torno de uma possível sequela. Joker, em exibição nas salas portuguesas, é o filme mais visto das últimas quatro semanas e já está em terceiro lugar no top dos mais vistos de 2019.
Lê também: ‘Joker’. 5 coisas que de certeza que não sabes sobre o filme