Alemanha 86 está no ar de segunda a sexta-feira na RTP2. Estamos em 1986, o comunismo internacional está a entrar na fase mais conturbada, o terrorismo começa a assustar a Europa e o apartheid vira os olhos do mundo para a África do Sul. Na Alemanha, o governo da RDA desespera perante o desinvestimento de Moscovo.

Três anos depois dos acontecimentos de Alemanha 83, também transmitida pela estação pública, reencontramos o agente Martin Rauch (Jonas Nay), a sua tia Lenora (Maria Schrader) e os colegas dos Serviços Secretos internacionais da Alemanha Oriental.

Lê também: Emilia Clarke larga os dragões e entrega-se ao Natal em ‘Last Christmas’. Vê o trailer

Banido da Stasi para Angola devido aos erros que praticou em 1983, Martin é agora recrutado por Lenora, alta funcionária dos serviços secretos internacionais da Alemanha comunista, para uma missão bastante diferente: angariar dinheiro no estrangeiro para o falido governo da RDA através da venda de armas para África do Sul. O espião, agora com o nome de código Kolibri, tem como missão exportar armamento – que, por ironia, é fabricado na Alemanha Ocidental – para um país mergulhado em plena crise do apartheid.

Apartheid - Alemanha 86

Fotografia: Divulgação

Alemanha 83, que revisita os tempos da Guerra Fria, não foi um sucesso imediato no país de origem, mas acabou por se tornar um fenómeno de culto para os interessados neste período da história contemporânea, o que gerou a sua aquisição e transmissão pela Amazon Prime a partir desta segunda temporada, Alemanha 86.

Uma lição de história

Jonas Nay, protagonista do enredo, contou à Deutsche Welle que a série também lhe ensinou várias coisas que não sabia: “Eles [o governo da RDA] tentaram arranjar dinheiro de todas as maneiras para o Estado falido. Havia tanta coisa a acontecer, como negócios ilegais com armas e experimentos farmacêuticos ou médicos… coisas de que nunca ouvi falar“, relatou o ator nascido em 1990.

O percurso pessoal de Rauch também se adensa, na sequência dos acontecimentos de 1983. “Ele matou um homem e teve que sepultar a mulher que amava – uma cena muito pesada, na floresta – e isso mudou-o muito“, conta.

Fotografia: Divulgação

A série passa agora pela África do Sul, com várias cenas filmadas na Cidade do Cabo, mas também pela Líbia ou por França. E isto tudo acontece ao som de uma banda sonora facilmente que facilmente vai transportar os espectadores para os anos 80, recheada de hits de artistas como Talk Talk, Falco, Salt ‘n’ Pepper e Talking Heads.

A terceira temporada, intitulada Alemanha 89, já está confirmada e vai focar-se nos acontecimentos que levaram à queda do Muro de Berlim.