Numa entrevista relativa aos lucros do terceiro trimestre de 2019, Greg Peters, o diretor de produtos da Netflix, anunciou que a empresa se encontra a estudar formas de limitar a partilha de palavras-passe entre os utilizadores do serviço. O objetivo é combater a perda de lucro que advém desta prática.

Os três planos mensais existentes na plataforma – base, standard e premium – foram desenhados a pensar nos clientes que habitam na mesma casa, possibilitando o visionamento do conteúdo em diversos dispositivos em simultâneo. No entanto, estas delimitações têm sido cada vez mais ignoradas pelos utilizadores da plataforma.

(Imagem: Jaap Arriens/Getty Images)

De acordo com um estudo realizado pelo grupo Magid para o canal de televisão norte-americano CNBC, do total  de 137 milhões de clientes espalhados pelo mundo, 13,7 milhões não pagam o valor mínimo da mensalidade correspondente aos 7,99€ do plano base. Isto traduz-se numa perda total de 135 milhões de dólares mensais, ou seja, 121 milhões de euros.

É necessário sublinhar que consta nos atuais termos e condições da plataforma que não é permitido que os utilizadores partilhem o login com pessoas que não habitam a mesma residência. Segundo os mesmos, “O serviço Netflix e qualquer conteúdo visualizado através do serviço são apenas para uso pessoal e não comercial e não podem ser partilhados com indivíduos fora da sua casa”.

Apesar de a Netflix ainda não ter revelado a estratégia a adotar para reduzir este problema, Greg Peters refere que estão à procura da melhor maneira para o enfrentar. “Nós continuamos a monitorar e estamos de olho na situação. Vamos procurar maneiras pró-consumidor de limitar esta prática“, disse. Resta-nos aguardar.

Lê também: DRAG RACE GANHA UM NOVO SPIN-OFF: RUPAUL’S CELEBRITY DRAG RACE