À Procura de Alaska é a mais recente minissérie da Hulu, uma adaptação em oito episódios do livro do mesmo nome que estreia sábado, 19 de outubro, na HBO Portugal. O Espalha-Factos viu os três primeiros episódios e diz-te o porquê de esta ser a mais promissora adaptação de um romance de John Green.

Looking for Alaska

Imagem: Hulu/Reprodução

O livro em que se baseia é o primeiro de John Green, o famoso autor de literatura para jovens adultos. Vencedor do Prémio Printz e escolhido como um dos 100 mais importantes livros para jovem-adulto de sempre pela revista TIME, há muito que uma adaptação da obra estava em cima da mesa. Tendo sido primeiro planeado um filme, esse plano foi abandonado – já após casting – e hoje a adaptação encontrou casa na Hulu. Um cenário ideal para um livro com quase 15 anos de idade e 221 páginas: seja pelo formato ou pela dedicação da produção ao projeto, a verdade é que este parece ser a adaptação que mais faz jus à voz narrativa de John Green e aos seus sempre eloquentes e filosóficos protagonistas adolescentes.

Fotografia: Divulgação / HBO Portugal

Miles Halter é um rapaz introvertido e impopular na escola que decide inscrever-se no colégio interno que o pai frequentou para terminar o secundário na procura por uma vida com sentido e feita de momentos notáveis. É lá que conhece Chip “Coronel” Martin, Takumi Hikohito, e Alaska Young, e os quatro formam uma amizade profunda. Alaska é misteriosa, inteligente, sedutora e enigmática – e Miles apaixona-se por ela. Mas quando uma tragédia acontece, nada será igual.

O casting perfeito

Kristine Froseth é Alaska Young, uma escolha que se revelou acertada. A atriz, que tinha já sido escolhida para o papel aquando do casting para a adaptação cinematográfica que nunca aconteceu, manteve-se a escolha dos produtores e vê-se o porquê. Não só Froseth é fisicamente aquilo que o leitor imagina ao conhecer Alaska, mas a atriz também domina todo o leque de emoções que esta desafiante personagem requer, conseguindo ser simultaneamente tudo aquilo que é Alaska Young, incluindo o seu lado mais misterioso, que nos é gradualmente mostrado.

Fotografia: Divulgação / HBO Portugal

Também Miles “Pudge” Halter, o protagonista, é extremamente bem escolhido: a sua óbvia paixoneta por Alaska, a sua ingenuidade, tudo aquilo que nos faz torcer por ele é trazido à vida por Charlie Plummer. Para além deles, também o Coronel é trazido da página para o ecrã de forma rigorosa por Denny Love, a quem se juntam vários nomes jovens que preenchem o ecrã como os restantes alunos de Culver Creek Boarding School, entre eles Jay Lee (Takumi), Sofia Vassilieva (Lara) e Landry Bender (Sara). A fasquia do elenco é, no entanto, elevada pela presença de Timothy Simons (Veep) e Ron Cephas Jones (This is Us) como a Águia, o vigilante diretor da escola, e Dr. Hyde, o velho professor de Estudos Religiosos com apenas um pulmão, respetivamente.

Fotografia: Divulgação / HBO Portugal

O tom certo

Em termos de ambiente e ritmo, a cinematografia e a banda sonora estão perfeitas ao colocar-nos exatamente nos meados da década passada – 2005, quando se passa a história. A música ganha um papel essencial em caracterizar cenas e, neste caso, em transportar-nos para esse ano. Para além disso, todo o visual da série espelha o livro, começando no guarda-roupa: apesar das personagens principais terem um estilo mais próprio do que típico da época, é no grupo de alunos privilegiados rivais que se nota as modas típicas da década 2000s. Além disso, a menor saturação das cores que atravessa a série faz sentido com a escrita e a história de À Procura de Alaska pois, apesar de ser uma adaptação de um romance adolescente passado num colégio interno escrita por John Green, a verdade é que esta não é uma história leve ou romântica, e a insaturação das cores vai ao encontro dessa realidade.

Mais do que tudo, esta é uma série que parece corresponder às expectativas dos fãs da obra, mas que graças aos oito episódios a que teve direito, tem muito mais tempo para acrescentar cenas, criar mais algum mistério, e de todas as formas tornar um livro escrito em primeira pessoa na perspetiva de um rapaz adolescente numa narrativa com mistério, humor, aventura e romance que poderá ser apreciada por todos neste formato, sem ser necessário ter lido a obra primeiro – mas que vai deixar quem a vir com vontade de o fazer.

À Procura de Alaska é uma série original Hulu, produzida pela Paramount Pictures e pela Fake Empire. John Green teve também nesta série o papel de produtor executivo. O primeiro episódio é realizado por Sarah Adina Smith, cujos últimos trabalhos incluem Hanna e Legion. A minissérie estreia na sua totalidade dia 19 de outubro na HBO Portugal.