Começar do zero, ou como superar um passado traumático, poderia ser o título de El Camino: A Breaking Bad Movie. O filme, que chegou esta sexta-feira (11) à Netflix, tem argumento e realização de Vince Gilligan, o mesmo autor da reconhecida série Breaking Bad e conta com Aaron Paul como protagonista.

Apesar de procurar ser uma sequela, não impressiona, nem faz jus ao brilhantismo da série que o antecedeu.

El Camino tem como foco central dar continuidade à vida de Jesse Pinkman (Aaron Paul), após a sua libertação do cativeiro onde se encontrava, na sequência da morte do ex-sócio Walter White (Bryan Cranston), seu antigo professor e especialista na produção de metanfetaminas.

Procurado pela D.E.A., como suspeito do massacre ocorrido na fábrica de drogas, inicia uma fuga desesperada que o leva a recorrer aos amigos de sempre. Skinny (Charles Baker) e Badger (Matt Jones) demonstram uma amizade inabalável e incondicional que o surpreende.

Na tentativa de superar o seu passado e os traumas dele decorrentes, o percurso da personagem começa com muita indecisão e inconsistência na fuga da vida passada, recorrendo a antigos esquemas e estratégias de sobrevivência já conhecidos do espetador.

Lê Também: SKIN: A HISTÓRIA DE QUEM CONSEGUIU ESCAPAR AO ÓDIO
Aaron Paul em El Camino

Aaron Paul em ‘El Camino’ (Fotografia: Netflix)

Além das visíveis marcas físicas, são as psicológicas que se mostram mais difíceis de superar. Rapidamente, assistimos a um misto de vingança e tentativa de redenção, que o argumento nos faz crer ser o objetivo principal de toda a trama.

A coragem e a tentativa de fazer o correto mostram a vontade de mudança e de refazer a sua vida, ainda que, para isso, Jesse Pinkman cometa uma série de ilegalidades, mostrando-se, assim, consistente com o seu caráter e o seu estatuto incontornável de fabricante/traficante de droga.

Os meios justificam os fins, e apesar de alguma renitência na sua execução, Jesse Pinkman não desilude e cumpre escrupulosamente todos os patamares de delinquência que se mostrem necessários.

A premência na obtenção de dinheiro para começar do zero, e os crimes cometidos para o conseguir, são o fio condutor que nos reporta à personalidade de Pinkman que já conhecíamos e que aqui vemos evoluir para um estado mais adulto.

Através de alguns flashbacks de Breaking Bad, o realizador procura transmitir o estado de espírito da personagem, o que se torna benéfico para o enquadramento de determinadas cenas que se pretendem mais dramáticas.

Apesar de o ator Aaron Paul se manter fiel ao bom desempenho que já havia demonstrado na série, o argumento não convence e dá ao espetador a sensação de que o último episódio da quinta temporada deveria ter sido efetivamente o final desta história.

‘El Camino’: Começar do zero ou como superar um passado traumático
6.5Valor Total
Votação do Leitor 2 Votos
9.2