Afonso Reis Cabral é o vencedor do Prémio Literário José Saramago de 2019, com o romance de 2018 Pão de Açúcar, no ano em que o prémio comemora 20 anos. Quem o anunciou foi a presidente do júri do prémio, Guilhermina Gomes, no final da manhã desta terça-feira (8).

José Saramago. Fonte: Fundação José Saramago

Nas palavras do júri, editora Guilhermina Gomes, a poeta Ana Paula Tavares, os escritores António Mega Ferreira, Nélida Piñon e a viúva de Saramago Pilar del Rio, o romance de Afonso Reis Cabral, mergulha no “espesso e confuso mundo da memória” e propõe-se a revelar “os silêncios e omissões dos relatórios da polícia“, retirando-os do esquecimento.

Lê também: “Reforma Política”: sátira do desgaste da política brasileira

O prémio José Saramago é atribuído de dois em dois anos e é promovido pela Fundação Círculo de Leitores, desde 1999 – celebrando nesta edição o seu 20.º aniversário. Mas a vitória de Afonso Reis Cabral não foi a única novidade. Agora, o prémio que celebra uma obra literária no reino da ficção escrita em língua portuguesa vai alterar a idade limite dos candidatos, passando dos 35 para os 40 anos.

Afonso Reis Cabral, quem é o jovem autor português?

(c) João Pedro Félix

Publicado por Afonso Reis Cabral em Domingo, 18 de agosto de 2019

Afonso Reis Cabral nasceu em 1990. Com quinze anos estreou-se no mundo da literatura, publicando o seu primeiro livro de poesia, Condensação. Quando chegou a altura de escolher uma licenciatura, escolheu Estudos Portugueses e Lusófonos na Universidade Nova de Lisboa, o mestrado fê-lo na mesma área e tirou uma pós-graduação em Escrita de Ficção.

Desde jovem que se atirou ao mundo. Foi duas vezes à Alemanha de camião em busca de uma história, a primeira das quais com treze anos.

Agora vem juntar o Prémio Literário José Saramago de 2019 ao Prémio Leya de 2014, que venceu com o seu primeiro romance, O Meu Irmão.

O livro que lhe deu o Prémio Saramago, Pão de Açúcar, publicado em 2018, não foi o seu último. Leva-me Contigo, foi escrito como registo da sua viagem a pé por Portugal, depois de percorrer os 738,5 quilómetros da Estrada Nacional 2.

“Pão de Açúcar”, a história merecedora do Prémio José Saramago

Publicado por Afonso Reis Cabral em Quarta-feira, 29 de maio de 2019

Fevereiro de 2006, no Porto. Os bombeiros Sapadores resgatam de um prédio abandonado um corpo, com marcas de agressões e nu da cintura para baixo. A vítima que se refugiara naquela cave fora espancada ao longo de vários dias.

É Rafa, o protagonista, quem encontra aquela espécie de barraca que lhe prende o interesse. O que descobre deixa-o dividido entre a atração e a repulsa e a dúvida persiste: guarda o segredo ou partilha-o com o mundo?

Narrado na primeira pessoa, Pão de Açúcar foi publicado em setembro de 2018 e baseia-se na história verídica do assassinato de Gisberta, na cidade do Porto, em 2006.

Pão de açúcar é uma magistral de factos e ficção, com personagens reais e imaginárias meticulosamente desenhadas, que vem confirmar o talento e a maturidade literária de Afonso Reis Cabral,” pode ler-se na Wook.