Imagem: divulgação HBO

Catarina, a Grande chegou à HBO e Helen Mirren conquista o ecrã

Catarina, a Grande é o novo drama histórico de grande escala da HBO, repleto de intrigas palacianas, guerra e sexo, mas que também é uma grande história de amor. A minissérie acompanha a segunda metade do reinado da imperatriz Catarina da Rússia. A estreia em Portugal aconteceu esta quinta-feira (3) na HBO.

Imagem: divulgação HBO

A minissérie acompanha Catarina, a Grande durante a segunda metade do reinado da imperatriz que mais tempo reinou a Rússia. Catarina sobe ao trono em 1762 após um golpe que retirou e assassinou o seu marido, Peter III. Originalmente alemã, Catarina adotou, ao casar, um novo nome, assim como religião e cultura, identidade que mantém até à morte e que a tornou russa aos olhos da população. É com a imperatriz já estabelecida no trono que nos encontramos no início da série, quando esta conhece Potemkin. A série acompanha os dois nas várias etapas do seu romance e, à medida que envelhecem, vemos também como muda Catarina enquanto a Rússia se torna um dos grandes poderes da Europa, nesta que é a Época de Ouro Russa.

Helen Mirren é Catarina

Imagem: divulgação HBO

Em 2007, Helen Mirren vestiu de forma absolutamente brilhante a pele de Isabel II, no filme A Rainha. A sua prestação levou-a a ganhar o Óscar de Melhor Atriz. Este ano, a atriz inglesa volta ao ecrã para dar corpo a outra grande figura feminina: Catarina, a Grande.

Determinada e poderosa, assume amantes como qualquer outro rei antes dela, numa corte que gira à sua volta. Uma mulher que não só tomou como se segurou ao poder, reinando até à sua morte em 1796, com 67 anos – numa época em que muitos não chegavam à velhice. Talvez por isso, Helen Mirren seja uma escolha tão acertada. Vivaz, alerta, dinâmica, Mirren torna Catarina mais real. Uma mulher que ama, que se enerva, que também se ri e se diverte com empatia, mas que pode ser impiedosa. Que vive a vida na sua plenitude.

Imgem: divulgação HBO

Ao longo da série, acompanhamos o envelhecimento de Catarina, cujas circunstâncias a tornam cada vez mais cética. Do discurso abolicionista à expansão imperial, as guerras consecutivas obrigam-na a pôr de lado alguns dos seus princípios morais. Mas é o medo constante da traição, do golpe ou da revolta que a tente tirar do trono, que mais a atormenta e adormece o seu idealismo. Para além das guerras no estrangeiro ou das revoltas populares, são os egos dentro do palácio que mais a ameaçam, principalmente o do filho, Paulo I.

Uma história de amor

Imagem: divulgação HBO

Grigory Potemkin é o grande amor de Catarina. Ele é tão violento e sedento de aventura como é fiel e despretensioso com Catarina. Jason Clarke brilha no papel, conseguindo tornar esse homem de opostos uma realidade no ecrã. Catarina podia contar com Potemkin, um distinto militar, para a expansão do seu império, mas isto implicava longos períodos afastados. As cartas que trocam são os momentos românticos e verdadeiros que aliviam o pesado ambiente das intrigas palacianas da corte.

Uma grande produção

Imagem: divulgação HBO

Catarina, a Grande é uma grande produção da HBO, onde a caracterização e cenários em grande escala nos levam diretamente para essa corte russa do século XVIII. Gravado na Lituânia, Letónia e Rússia, esta minissérie tem tudo: romance, violência, intriga e um grande elenco que a traz à vida. Para além de Helen Mirren e Jason Clarke, temos Gina McKee no papel de Countess Bruce, amiga e confidente da rainha, Rory Kinnear é o político Nikita Panin, e Roxin Roxburgh interpreta Grigori Orlov, o seu amante que liderou o golpe que a pôs no trono mas cuja ambição política cansa a imperatriz e leva à perda do seu status como favorito.

Imagem: divulgação HBO

O seu formato é episódico (4 episódios), permitindo à série focar-se em momentos particulares durante o longo reinado de Catarina. Assim, o primeiro episódio apresenta uma revolta militar rapidamente silenciada e o segundo a Revolta Pugachev (1773-75). Estes eventos, assim como as guerras com a Turquia, orientam-nos temporalmente na série, para aquele que se perder com os saltos temporais entre episódios.

(Re)contar a história

Mais que tudo, é refrescante ver um drama histórico como este ser centrado numa mulher – e numa mulher verdadeiramente poderosa, impiedosa, culta, que amou e que não teve vergonha de o fazer, mas cuja corte nunca deixou esquecer que era mulher. Atrás das costas ou após a sua morte, Catarina foi caluniada e vilificada pelos seus opositores políticos, pelos invejosos da corte e pelo próprio filho, tornada uma piada sobre o seu apetite sexual voraz. Mas a série reconhece estes mitos e desmonta-os, tentando mostrar a verdadeira Catarina, em toda a sua complexidade.

A minissérie conta com Helen Mirren como uma das produtoras executivas, que trouxe Nigel Williams e Philip Martin para o projeto como escritor e realizador, respetivamente. Catarina, a Grande já está disponível na HBO Portugal.

LÊ TAMBÉM: LEGACIES: TUDO O QUE PRECISAS SABER SOBRE A NOVA TEMPORADA

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Lady Gaga Chromatica
Lady Gaga vai atuar na cerimónia dos VMAs