O Doclisboa’19 – Festival Internacional de Cinema regressa em outubro e as novidades desta 17.ª edição já são conhecidas. A programação completa foi divulgada, esta quarta-feira, numa conferência de imprensa que contou com a participação de Cíntia Gil (Direção Doclisboa), José Ramalho (Conselho Diretivo da Culturgest), Manuel Veiga (Diretor Municipal de Cultura na Câmara Municipal de Lisboa) e José Manuel Costa (Diretor da Cinemateca Portuguesa).

Este ano vão ser apresentados 303 filmes (sendo que 39 são estreias mundiais e 45 estreias internacionais) de 48 países divididos entre secções competitivas e não competitivas.

Fonte: divulgação

“Um olhar sobre vastos territórios, através das mais variadas vozes artísticas, nos mais diversos tempos da História e do Cinema” é, segundo o comunicado enviado ao Espalha-Factos, o que define a programação deste ano.

 

Competição Internacional e Competição Portuguesa

A secção de competição reparte-se entre a Competição Internacional Competição Portuguesa. A primeira engloba 14 filmes (4 estreias mundiais, 7 internacionais, 1 europeia e 1 portuguesa) provenientes de 11 países que detêm o olhar especial sobre o mundo e o cinema dos realizadores Lisa Reboulleau, Camille Degeye, Madeleine Hunt-Ehrlich, Sofia brito, Manel Raga-Raga, Camila Rodrigues Triana, Jo Sefarty, Frank Beauvais, Christophe Bisson, Welket Bungué, Thunska Pansittivorakul, Wook Steven Heo, Christian Haardt e Daniil Zinchenko.

doclisboa

Santikhiri Sonata, de Thunska Pansittivorakul | Fonte: DocLisboa

Dos 44 filmes portugueses que vão ser apresentados, 11 integram a Competição Portuguesa.  As sete estreias mundiais e quatro estreias portuguesas são “gestos de liberdade, para além de quaisquer categorizações”, produto do trabalho dos realizadores Tiago Siopa, Pedro Filipe Marques, Saguenail, José Filipe Costa, Diana Vidrascu, Leonor Noivo, Atsushi Kuwayama, Inês Gil, Miguel de Jesus, Nevena Desivojevic e Luís Brás.

Secção não competitiva

A secção Riscos, dedicada à experimentação no cinema e às fronteiras que delimitam e questionam as diferentes épocas, traz este ano uma homenagem à realizadora Barbara Hammer, conhecida como uma das pioneiras do cinema lésbico, retratando temas como os papéis de género, relações lésbicas, o idadismo e a família.

Os realizadores convidados são o realizador libanês Ghassan Salhab e a canadiana Sofia Bohdanowicz. Vão ser ainda exibidos os últimos filmes de James Benning (Telemundo)Alain Cavalier (Living and Knowing You’re Alive).

doclisboa

Barbara Hammer | Fonte: DocLisboa

Na secção Heart Beat celebra-se Zé Pedro, os Beatles, Pedro Lemebel (activista queer e artista visual chileno), Eduardo CoutinhoLil PeepDaniel Johnston. Este último, autor de canções como True Love Will Find You in The End e Some Things Last a Long Time e falecido em setembro, será homenageado com a exibição dos filmes Hi, How Are You, Daniel Johnston, de Gabriel Sunday The Angel and Daniel JohnstonLive at the Union Chapel, de Antony Crofts.

LÊ TAMBÉM: DOCLISBOA ANUNCIA PROGRAMAÇÃO QUE DEBATE SITUAÇÃO BRASILEIRA

Em Da Terra à Lua os realizadores em foco são Kevin Jerome Everson Claudrena N. Harold. Em restrospectiva (Retrospectivas) vai estar a realizadora e repórter de guerra Jocelyne Saab, com a exibição de filmes como Interview With Gaddafi e Kadhafi, The Green Marche uma parte dedicada ao cinema da Alemanha de Leste com Ascensão e Queda do Muro – O Cinema da Alemanha de Leste.

Para além da oferta aos mais adultos, o Doclisboa oferece ainda um Projecto Educativo com 14 sessões para escolas e oficinas destinado a crianças e jovens dos 4 aos 15 anos.

Há novidades nesta 17.ª edição

Na edição deste ano do Doclisboa, as novidades passam por um novo espaço de networking – Nebulae. Como o Arché, um laboratório de atividades direcionados a profissionais do cinema, o Nebulae trará masterclasses, tutoriais, residências de crítica e investigação com o objetivo de desenvolver o encontro entre as entidades de criação do cinema independente.

O Doclisboa’19 conta ainda com dois novos prémios. Na Competição Portuguesa estreia-se o Prémio Fernando Lopes para Melhor Primeiro Filme Português e, na secção Verdes Anos,o Prémio Pedro Fortes para Melhor Realização Verdes Anos.

doclisboa

The Cavern Club: The Beat Goes On | Fonte: DocLisboa

O Doclisboa’19 decorre entre os dias 17 e 27 de outubro em diversas salas de cinema de Lisboa, nomeadamente na Culturgest, no Cinema São Jorge, na Cinemateca Portuguesa e no Cinema Ideal. Podes consultar aqui toda a programação desta nova edição.

LÊ TAMBÉM: CRÍTICA: VITA & VIRGINIA, A HISTÓRIA DE AMOR POR CONTAR