Holy forking shirtballs. The Good Place, a comédia sobre a vida, a morte e a vida depois da morte, regressa ao ecrã esta quinta feira (dia 26) para a quarta e última temporada. O desfecho da história promete mais reviravoltas inesperadas que ditam o destino de EleanorChidi e companhia.

A série, que estreou em 2016, conta a história de Eleanor Shellstrop (Kristen Bell), uma mulher comum que, depois de morrer, aterra naquele que aparentemente é o “lugar bom”. No entanto, acredita que foi um erro, pois as suas ações em vida não foram propriamente as mais ortodoxas – acabando por ser confundidas com as de uma outra mulher.

Neste The Good PlaceEleanor junta-se a Chidi (William Jackson Harper), Tahani (Jameela Jamil) e Jason (Manny Jacinto), todos estes guiados por Michael (Ted Danson), um cientista-arquiteto que desenhou o “lugar bom”, com a ajuda de Janet (D’Arcy Carden), uma espécie de robô (que não é realmente um robô) que reúne todo o conhecimento do Universo.

Depois de três temporadas repletas de reviravoltas e revelações inesperadas, sempre em tom bem humorado, a nova temporada será a derradeira, ditando finalmente o desfecho destes humanos (e não só). Em entrevista ao The Hollywood ReporterMike Schur, criador da série, revelou que esta duração sempre foi a meta inicialmente pensada, e que a história termina mesmo por aqui.

O que aconteceu até agora?

O texto que se segue contém spoilers de ‘The Good Place’

Quem acompanha The Good Place certamente recorda o plot-twist do final da primeira temporada, que deixou os espectadores de boca aberta: Eleanor descobre que o “lugar bom” é, na realidade, o “lugar mau” e que Michael é um demónio encarregue de criar cenários aparentemente ideais mas que, na realidade, têm por objetivo torturar os humanos.

Michael apaga as memórias dos humanos, que acabam por, de alguma forma, descobrir o segredo vezes sem conta. Neste processo, o demónio começa a ganhar afeição aos quatro seres e acaba por pedir à juíza da vida depois da morte para levar EleanorChidiTahaniJason de volta à Terra para “desfazer” as suas mortes, iniciando-se uma linha temporal alternativa no processo.

the good place

Tahani, Chidi, Eleanor e Jason são os quatro humanos que desvendam os mistérios da vida depois da morte. (Fotografia: Divulgação/NBC)

Os quatro humanos falham a sua tentativa de viver de novo, acabando sempre por voltar a morrer. Com isto, descobre-se que, na verdade, é praticamente impossível para qualquer pessoa ser boa pessoa e entrar no “lugar bom” – passaram 521 anos desde a última vez em que um humano ganhou pontos positivos suficientes em vida para lá chegar; isto porque, por exemplo, algo simples como comprar uma peça de fruta traz pontos negativos, uma vez que, por influência indireta, se “apoia” práticas negativas que vão muito para trás do ato em si.

No entanto, no suposto “lugar bom” a que chegaram no início, EleanorJasonTahani, que na vida real tinham sido tudo menos “boas pessoas”, conseguiram tornar-se em tal. Chidi teoriza que isto aconteceu porque na vida depois da morte todos os fatores externos foram removidos, dando a oportunidade a Michael de reativar a experiência inicial com quatro novos humanos.

No entanto, o inesperado é a palavra de ordem em The Good Place. Shawn (Marc Evan Janson), demónio-chefe de Michael, não pretende que as coisas sejam fáceis e impõe algumas condições, escolhendo os quatro humanos. Seleciona propositadamente pessoas com ligações aos quatro originais, incluindo um jornalista cor de rosa que atromentava Tahani em vida ou, pior ainda, Simone, a ex-namorada de Chidi, fazendo com que este apague a sua memória para salvar a experiência – mesmo que isso signifique esquecer a sua paixão por Eleanor.

O que esperar da quarta temporada

Depois de todas as reviravoltas do final da terceira parte de The Good Place, há uma que define principalmente o rumo da última leva de episódios. Michael não se sente capaz de lidar com a pressão dos acontecimentos e, assim, Eleanor é forçada a fingir que é a cientista-arquiteta que criou o “lugar bom”.

Assim, a que inicialmente era a outsider deste mundo paralelo fica à frente do mesmo, tendo que dar as boas vindas aos novos inquilinos e seguir com a experiência que o grupo pretende realizar. No fundo, pretendem provar que, se providenciado amor, empatia, apoio ou ajuda, qualquer pessoa pode tornar-se melhor.

the good place

Eleanor finge ser a arquiteta do “lugar bom” para prosseguir com a experiência do grupo. (Fotografia: Divulgação/Netflix)

A última temporada de The Good Place terá 14 episódios, ao invés dos habituais 13 das suas antecessoras; o último episódio vai ter a duração de uma hora, o dobro da habitual meia hora a que a comédia nos acostumou.

A essência da série não se vai perder. Quem o afirma é Mike Schur que, na entrevista ao The Hollywood Reporter, ressalta que “toda a gente [equipa técnica e elenco] está contente porque vamos acabar da mesma forma que começámos: com um ritmo alucinante e com montes de curvas e contracurvas vertiginosas”. Mas, mesmo que o imprevisível seja a palavra de ordem nesta produção, vai ser fácil de perceber que o final se está a aproximar, uma vez que a última temporada foi pensada para atar (e desatar) todos os nós das anteriores.

Lê também: Conhece os vencedores dos Emmy 2019

The Good Place regressa esta quinta feira, 26 de setembro, ao ecrã da NBC. No dia a seguir (27), estreia no catálogo internacional da Netflix, incluindo o português, sendo lançado um episódio por semana – não vá o “lugar mau” voltar a fazer das suas.