O documentário francê Game Girls, de Alina Skrzeszewska, foi exibido no quarto dia (24) do Festival Queer Lisboa. O filme foi todo gravado em Los Angeles, mostrando que mesmo na cidade dos sonhos de Hollywood existe escuridão.

Acompanhamos o relacionamento atribulado de Teri e Tiahna à medida que cada uma vai tentando lidar com o caos de Skid Row, conhecida como a capital de pessoas desalojadas dos Estados Unidos.

Game Girls/Divulgação

Surge um dilema na vida do casal quando Teri deseja escapar para viver num sítio melhor, enquanto Tiahna parece mais confortável e acomodada a viver na fraca e injusta economia de Skid Row.

Enquanto não estão a discutir ou a tratar de assinar papéis, frequentam, em conjunto com outras mulheres do bairro, um workshop de arte para que possam expressar os seus traumas, angústias e desejos.

Este casal é muito bem retratado, levando o tempo ideal para que o espectador se sinta no interior da tela. Entendemos as cicatrizes interiores destas mulheres que explicam por si só algumas atitudes e modos de agir, mas, mais importante que isso, observamos algum melhoramento das duas. Porém, será que o amor vence?

Os momentos de felicidade são crus, tal como os de tristeza, mas a beleza de uns é tão grande como a dos outros – os planos são belos para os olhos do público, fazendo-os contrastar com a pobreza e desigualdade social existente.

Lê também QUEER LISBOA: ‘GRETA’ REVELA O OUTRO LADO DO BRASIL

Fotografia: Game Girls/Divulgação

Tal como na vida, o filme mostra que mesmo quando não temos nada, há sempre uma carrinha de gelados colorida que pode passar e alegrar um ambiente decadente.

A obra não se preocupa em explorar melhor, em termos práticos, como as duas começam a tentar erguer-se e sair das ruas. Em nenhum momento as vemos trabalhar para obterem dinheiro. Este aspeto pode causar confusão ao espectador, porque afinal como é que alguém sem abrigo pode ter dinheiro para roupas de casamento, combustível, entre outros?

Game Girls faz-nos refletir sobre relacionamentos tóxicos e sobre o outro lado de LA – onde estão os outcasts, marginalizados e discriminados sem direito à residência e à saúde pública.

A longa está a concorrer ao Prémio de Melhor Documentário e ao Prémio do Público.

Queer Lisboa: 'Game Girls' – retratos de esperança na reabilitação social
6.4Valor Total
Realização6.2
Argumento6.5
Fotografia6.5
Votação do Leitor 0 Votos
0.0