O primeiro episódio de American Horror Story: 1984 (AHS) estreou na semana passada. A nona temporada da série antológica de terror entra na febre de celebrar a década de 80.

A estreia da nova temporada permitiu conhecer o grupo principal de personagens e a narrativa em que se inserem. Fora do elenco está Evan Peters, pela primeira vez, o que dá a Sarah Paulson o pleno em AHS. A atriz ainda não apareceu neste primeiro episódio, no entanto.

Quais são as ilações a retirar do primeiro episódio de American Horror Story: 1984?

AVISO: Este artigo contém spoilers ligeiros do primeiro episódio de AHS: 1984
Lê também: AUDIÊNCIAS: ‘NAZARÉ’ CAI PARA O PIOR RESULTADO DESDE A ESTREIA

Manual de regras de um Slasher

A história desta temporada vai soar familiar aos fãs de filmes de terror dos anos 80. Uma tragédia acontece num campo de férias, perto de um lago. Um assassino psicótico mata todos os hóspedes de uma cabina na floresta, a meio da noite. O campo Redwood fecha, o assassino Mr. Jingles (John Carroll Lynch) é preso e Margaret Booth (Leslie Grossman) é a única sobrevivente.

O cenário q.b. de um slasher está apresentado e à espera de novas vítimas. A protagonista da série é Brooke Thompson (Emma Roberts), uma rapariga nova em Los Angeles e sobrevivente de um ataque do homicida Night Stalker. Para descontrair, Brooke e o seu grupo de amigos aceitam trabalhar na reabertura do campo Redwood, agora controlado por Margaret Booth.

Mr. Jingles escapa do sanatório onde estava encarcerado e dirige-se para o campo. Entretanto, atos violentos que precedem a fuga do assassino em série fazem com que Brooke suspeite que alguém seguiu o grupo de amigos desde Los Angeles.

Lê também: CRÍTICA. ‘PARASITAS’, A ALMA QUE O CINEMA JULGAVA PERDIDA

Os tributos aos filmes de terror da época são óbvios em certos aspetos, porém também existem algumas notas mais subtis que recompensam os fãs acérrimos de slashers.

De resto, American Horror Story: 1984 projeta uma colagem do melhor dos anos 80, desde a abertura alterada para enquadrar a época, ao resto da banda sonora e às referências culturais. Uma série tão conhecida pelo seu carisma estilístico encaixa, perfeitamente, numa das épocas mais nostálgicas dos nossos dias.

O primeiro episódio da nona temporada é divertido. A temática é mais leve do que em anos anteriores e isso é uma boa lufada de ar fresco. Resta saber o que se passa no campo Redwood e se vale a pena ficar para descobrir.