Benedict Wong foi um dos convidados principais da Comic Con Portugal 2019 em Algés, tendo marcado presença nos dias 14 e 15 de setembro. O ator britânico é mais conhecido para fãs da Marvel como Wong, o braço direito de Doctor Strange (O nome é pura coincidência).

Ao longo de dois painéis e conferências de imprensa, Wong partilhou o seu caminho desde jovem fã e colecionador de banda desenhada até se tornar ator, e como isso lhe pôs numa trajetória improvável rumo ao universo Marvel com que cresceu.

Fotografia: Diogo Marques (Espalha-Factos)

“Tudo foi full-circle, desde ser criança e colecionar BDs em Manchester, até me tornar ator, ter o papel de Wong e conhecer o Stan Lee.”, revela Benedict.

“Wong é Wong!”

Wong, Doctor Strange, Tony Stark e Bruce Banner em Avengers: Infinity War

Imagem: Disney

Para além de super herói, Benedict Wong tem encontrado sucesso noutro género do qual também é grande fã: ficção científica.

O ator teve papéis em Prometheus, Black Mirror (no episódio Hated in the Nation), Annihilation e The Martian.

Foi no set deste último que as sementes foram postas e que o levariam ao MCU:

“Há uns anos eu não tinha um agente. Estava a fazer o Martian com o Matt Damon e ele referiu-me aos contactos dele.

Eu estava na Ásia a gravar Marco Polo e tive de pedir o contacto do advogado. Eles ligaram-me: Temos uma petição, Wong for Wong. só precisamos de duas assinaturas, a tua e a do [Benedict] Cumberbatch.

Eu viro-me para ele: Wong for Wong? Wong is Wong!”

A presença de Wong em Infinity War e Endgame foi uma surpresa para o ator: “Estava a filmar reshoots para o Doctor Strange quando Kevin Feige me diz com toda a naturalidade que estava nos Avengers. Eu não sabia!”

Bruce Ng (Benedict Wong) em The Martian

Imagem: 20th Century Fox

Benedict Wong falou também da sua sorte no que toca aos realizadores com quem tem colaborado, destacando os projetos que fez com Ridley Scott, Prometheus e The Martian. “Tem sido um sonho trabalhar com pessoas como o Ridley Scott”.

Desde o seu tempo em teatro, o ator mantém uma directriz muito simples quando escolhe projetos:

“É importante seguir as boas histórias. Eu tenho que segui-las. Seja em cinema, seja em televisão. É aquilo que enquanto artista nos preenche.”

Benedict Wong como Kublai Khan em Marco Polo da Netflix

Imagem: Netflix

Dos seus projetos em televisão, Benedict Wong destacou Marco Polo da Netflix, onde interpretou o imperador mongol Kublai Khan.

Discutiu também a recém-cancelada série do Syfy, Deadly Class, cujo insucesso atribui em grande parte ao modelo tradicional de televisão. “A série [Deadly Class] tinha milhões de fãs… mas eles não estavam a ver naquele dia, àquela hora. É uma pena. Já não estamos condicionados aos horários. A ver uma coisa numa certa hora.”

Benedict Wong em Deadly Class

Imagem: Syfy

Lê também: Millie Bobby Brown: “Ainda estou a viver a minha infância”