Millie Bobby Brown esteve na Comic Con Portugal, com muitas pessoas a quererem entrar no Golden Theatre para vê-la. No painel, moderado por Nuno Markl, a atriz falou sobre Stranger Things e projetos futuros.

A lotação da sala esteve esgotada para receber a jovem atriz da série Stranger Things. Milhares de pessoas concentraram-se junto do auditório para tentarem entrar, mas o esforço foi em vão. Ouviram-se vozes de descontentamento e crianças a chorar por não estarem na interior da sala.

Numa conversa informal com o humorista Nuno Markl, Millie conta que tinha apenas dez anos quando participou no casting para a série Stranger Things. “Perguntaram-me [no casting] quais eram os meus filmes preferidos dos anos 80. E eu respondi E.T. (do Steven Spielberg) e Stand By Me. [De seguida] questionaram-me se eu não me importava de rapar o cabelo. Aí fiquei com dúvidas (risos), mas disse que não tinha problemas”.

Depois de ter ficado com o papel da personagem Eleven, a jovem confessou também que teve de ser contextualizada pelos seus pais sobre alguns objetos da década de 80, como, por exemplo, um gira-discos. Sobre a série, Millie Bobby Brown reconhece que é mórbida em certos momentos e, o facto de existir “boa química” entre o elenco, desde as primeiras cenas que gravaram, foi decisivo para o sucesso da série

O que esperar do futuro?

Para além de Stranger Things, Millie Bobby Brown já estreou no grande ecrã. A atriz participou em Godzilla: King of Monsters e já está a trabalhar em outro projeto. Na Comic Con Portugal, Millie revela ter acabado as gravações de Enola Holmes, um filme baseado no livro de Nancy Springer com o mesmo nome.

No elenco estão também incluídos os atores Helena Bonham Carter e Henry Cavill. A jovem está também envolvida na produção do mesmo. Ainda não há qualquer informação sobre a data de estreia.

Questionada por um fã no auditório sobre qual foi o melhor momento da sua infância, Millie Bobby Brown admite que ainda está a vivê-la. “Ainda estou a viver a minha infância”, disse. “Não penso muito no facto de ser ‘famosa’. Estou muito grata por estar a fazer o que gosto e considero isso mais importante.”

Lê também:Alexander Ludwig revela que ‘Vikings’ teve “mais figurantes que Braveheart”