Daniel Oliveira foi lacónico quando questionado pelo Espalha-Factos sobre a data de estreia da nova temporada de Golpe de Sorte. “Brevemente… na nova temporada“, foi a resposta do diretor-geral da SIC.

A segunda leva de episódios da trama protagonizada por Maria João Abreu chegou ao fim esta segunda-feira (9), dando lugar a Nazaré na primeira faixa do prime-time. Fica assim, para já, em aberto o desfecho da história de Maria do Céu.

Maria João Abreu não quis revelar quaisquer spoilers aos jornalistas e chegou mesmo a partilhar que o próprio marido evita que ela lhe conte novidades do enredo. “É muito mais interessante as pessoas serem surpreendidas“, afirma a atriz, enquanto garante que “a terceira temporada é a melhor de todas e vai ter revelações bombásticas“.

A protagonista daquela que foi a principal aposta da ficção da SIC nos últimos meses descreveu de forma muito positiva a experiência. “Foi um projeto muito intenso, mas muito bom e muito feliz. Foi uma grande surpresa, e tenho recebido mensagens de pessoas que não seguiam nem novelas nem séries e que estão a ver esta“, adiantou.

Golpe de Sorte. “Na novela… nós mastigamos um bocadinho ali o mesmo texto”

O facto de, desta vez, a SIC ter apostado numa série foi “mais interessante” para Maria João Abreu. “Porque, como é série, e eu já fiz novelas… A novela, como está um ano, e às vezes as pessoas perdem episódios, ciclicamente nós mastigamos um bocadinho ali o mesmo texto, porque quem perde um episódio ou dois pode depois apanhar sempre a história. Aqui, curiosamente, as pessoas dão conta quando perdem uma cena em que se revelava isto ou aquilo. Porque aqui a história todos os dias avança“, explica.

Maria João Abreu defende ainda que Golpe de Sorteé um produto autêntico e que retrata uma realidade muito nossa“. A atriz defende que o país “é muito mais rural do que urbano” e que “é muito interessante que esta série se situe numa vila quase aldeia do nosso Portugal, que é muito genuína, que tem histórias de gente que trabalha, de gente que sofre, de gente guerreira, e esta Maria do Céu é exatamente esse exemplo“, detalhando esta história como a de “uma mulher, como muitas que há no nosso Portugal, que trabalham muito para dar uma vida melhor aos filhos e que de repente teve a sorte de ganhar 100 milhões, mas mesmo assim não perde a sua essência“.

Um dos pontos mais gratificantes da personagem, que considera “um presente”, por ter sido “uma personagem muito rica ao nível da construção”, têm sido as mensagens que tem recebido das espectadoras. “Recebo muitas mensagens pela internet. E emociono-me, porque muitas mulheres dizem que se identificam, porque através desta personagem percebem que ainda há esperança e agradecem o facto de a série estar no ar, porque traz esperança. E isso é tão bom, quando através da ficção conseguimos ajudar as pessoas“, revela emocionada.

A nova SIC tem uma cara

Quando questionada sobre como foi fazer parte desta nova SIC que, nos últimos sete meses, tem sido líder de audiências, Maria João Abreu defende que “Daniel Oliveira é a peça fundamental na SIC.

Em palavras muito elogiosas para com o diretor, a atriz sublinha que “ele veio mudar tudo“, destacando principalmente “a escolha do elenco“, nomeadamente o facto de “trazer gente de todas as esferas e de todas as idades. Os avós têm a idade dos avós e as pessoas voltaram a ver atores que há muito tempo que não apareciam, porque de repente há aquele estigma que a novela tem de ser só para gente nova e bonita. E não, é um produto transversal, ainda por cima neste horário. E há crianças dos oito, até pessoas de oitenta que vêm esta série. O facto de termos uma Manuela Maria, um Rui Mendes, a Carmen Santos“, exemplifica.

Na apresentação da nova temporada da SIC, esta segunda-feira (9) no Capitólio, em Lisboa, a estação de Paço de Arcos lançou a nova novela Nazaré, anunciou a terceira temporada de Golpe de Sorte e ainda mostrou as primeiras imagens de Terra Brava, aposta de ficção que será protagonizada por Mariana Monteiro e João Catarré.