Na sequência de uma notícia publicada este fim-de-semana pelo jornal Sol, a Cofina veio desmentir ao Jornal de Negócios que “caso as negociações com a Media Capital tenham uma conclusão positiva, pretenda dispensar trabalhadores” ou ainda que esteja em causa o fim das emissões da TVI24.

A publicação de economia, que é propriedade do grupo, noticia assim uma primeira resposta aos rumores que davam como certo o fim do canal informativo e a dispensa de nomes como Judite Sousa, José Alberto Carvalho e Joaquim Sousa Martins. “No contexto das negociações em curso, a Cofina não fez, nem lhe compete fazer, qualquer exigência relativamente à gestão dos diferentes ativos“, acrescentou a mesma fonte ligada ao grupo de media.

Outra das informações avançada pelo semanário era que, para avançar com a aquisição da Media Capital, a Cofina faria um aumento de capital que contaria com a entrada da Igreja Universal do Reino de Deus, através da TV Record. Esta ligação foi também desmentida pela notícia do Negócios.

A Cofina está, desde agosto, em conversações com a Prisa para a aquisição das ações dos espanhóis na Media Capital, holding que detém a TVI, TVI24, rádios como a Comercial, a Cidade, a Smooth e a M80 e ainda o portal IOL.