pilha de livros
Fonte: Pixabay

Conhece os finalistas do Man Booker Prize 2019

O maior prémio de literatura em inglês do Reino Unido já anunciou os finalistas para o Man Booker Prize de 2019. Este prémio é o mais importante galardão para qualquer autor que escreva em língua inglesa e veja a sua obra publicada no Reino Unido e Irlanda nesse ano e que, ao longo dos seus 50 anos de existência, já premiou autores como Ian McEwan, Kazuo Ishiguro, William Golding e Michael Oondaatje, assim como Anna Burns o ano passado pelo seu romance Milkman.

Fonte: Man Booker Prize

Os finalistas

Os finalistas deste ano não apresentam grandes surpresas, apesar de muitos dos nomeados na longlist que se esperavam ver passar para a segunda fase terem ficado pelo caminho, como Max Porter com Lanny, Deborah Levy com The Man Who Saw Everything ou Jeanette Winterson com Frankissstein.

Autores consagrados como Salman Rushdie e Margaret Atwood voltam a estar nomeados, ambos já galardoados uma vez com este prémio. Se um deles vencer de novo será apenas o quarto autor a alcançar o feito, juntando-se à lista que inclui J.M. Coetzee, Peter Carey e Hilary Mantel.

O vencedor é anunciado a 14 de Outubro. Até lá, descubra os seis finalistas abaixo, apurados de uma lista de treze nomeados.

The Testaments – Margaret Atwood (Canadá)

Imagem: Goodreads

Margaret Atwood lança a 10 de Setembro o mais aguardado livro do ano no mercado inglês, a sequela de A História de Uma Serva, publicado em 1985 e também ele finalista do Man Booker Prize de 1986. O clássico romance distópico feminista retrata os Estados Unidos num futuro próximo governados por um regime ditatorial teocrático machista no qual certas mulheres férteis, as servas, são usadas para a reprodução. The Testaments passa-se quinze anos após a última cena da personagem principal, Offred, e terá três narradoras, todas personagens femininas da obra. Esta é sexta nomeação de Atwood para o Man Booker Prize, tendo vencido em 2000 com The Blind Assassin.

Quichotte – Salman Rushdie (Índia)

Imagem: Goodreads

O autor, vencedor do Man Booker Prize em 1981, é nomeado pela sétima vez, agora com este romance inspirado no clássico D. Quixote de la Mancha sobre um medíocre autor de policiais, Sam DuChamp, que cria a personagem Quichotte, um vendedor que se apaixona por uma estrela de televisão. Para provar que é merecedor do amor desta atriz, Quichotte parte numa viagem que atravessará a América com o seu imaginário filho Sancho, ao mesmo tempo que o seu criador lida com uma crise de meia-idade. Um romance sobre assuntos extremamente atuais – como a crise dos opióides e da espionagem cibernética -, mas também universais como a incessante busca humana pelo amor.

10 Minutes 38 Seconds in the Strange World – Elif Shafak (Turquia)

Imagem: Goodreads

Elif Shafak, a autora feminina mais lida na sua terra natal, a Turquia, escreve tanto em inglês como em turco. Autora de dez romances, entre eles A Bastarda de Istambul, tende a dar voz às mulheres, migrantes e outras minorias nas suas obras. Neste seu mais recente livro, a personagem principal, Leila, relembra uma memória a cada segundo que passa após a sua morte. Cada uma delas guarda um aspecto importante da sua vida: onde cresceu, onde viveu, e as pessoas que conheceu – pessoas essas que estão nesse momento a tentar encontrá-la.

An Orchestra of Minorities – Chigozie Obioma (Nigéria)

Imagem: Goodreads

O segundo romance e a segunda nomeação para Chigozie Obioma, um dos mais contemporâneos e relevantes autores nigerianos do momento. O seu primeiro romance, The Fishermen, alcançou também o lugar de finalista do Man Booker Prize em 2015. Neste livro, Obioma inspira-se parcialmente numa história verídica e também na Odisseia de Homero para contar a história de Chinonso, um criador de aves cuja vida muda drasticamente ao evitar o suicídio de Ndali, por quem se apaixona. Quando a família rica de Ndali se opõe ao casamento, Chinonso parte para o Chipre na intenção de estudar na universidade, mas ao chegar descobre que foi enganado. Uma tragédia épica sobre determinação e destino contada na perspectiva do  chi, ou espírito do protagonista, de acordo com o estilo mítico da tradição literária do povo Igbo.

Girl, Woman, Other – Bernardine Evaristo (Reino Unido)

Imagem: Goodreads

Bernardine Evaristo é uma autora e professora universitária britânica cuja obra, que inclui oito trabalhos de ficção, se foca principalmente na diáspora africana. Conhecida por experimentar com a forma, este romance contém a história de doze protagonistas, maioritariamente mulheres de ascendência africana, de várias sexualidades, idades, classes e situação geográfica na Grã-Bretanha, e segue as suas vidas e as tribulações por que passam, cruzando linhas narrativas e tornando-se um livro vibrante, extremamente contemporâneo, polifónico e inovador.

Ducks, Newburyport – Lucy Ellmann (Estados Unidos da América/Reino Unido)

Imagem: Goodreads

Lucy Ellmann, nascida nos Estados Unidos e criada no Reino Unido, conclui a lista de nomeados com este gigante de quase 1,000 páginas e apenas oito frases. Escrito num escrito que poderá ser descrito como stream-of-consciousness ou fluxo de consciência, este é um livro que vai até aos limites da literatura para analisar a realidade americana contemporânea através da perspetiva de uma dona de casa americana que vai divagando sobre aquilo que a preocupa. Uma análise à brutalidade do passado e presente americano tocando em temas tão atuais como os tiroteios e o acesso à saúde, passando por um lamento à forma inativa como o mundo caminha para um desastre ambiental, num livro revolucionário em forma e conteúdo.

Lê também: LÊ ANTES DA ESTREIA: AS PRÓXIMAS ADAPTAÇÕES DE LIVROS PARA O ECRÃ

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Nazaré Verónica
Nazaré. SIC comemora “melhor resultado de sempre”