A sexta edição do Super Nova está de regresso e começa já no próximo dia 14 de setembro, no Porto. O circuito da Super Bock irá percorrer seis cidades nacionais de norte a sul do país, juntando em palco Lonz Dale’s Fantasy, Solar Corona e First Breath After Coma.

Em comunicado, a organização explica que o evento “descentraliza a música portuguesa e dá palco a bandas nacionais emergentes”. O primeiro concerto terá lugar no Maus Hábitos, o local onde tudo começou em 2017. Depois da sala portuense, o roteiro passa por Faro, Évora, Aveiro, Coimbra, terminando em Viseu a 14 de dezembro.

Super Nova

O Super Nova começa no Porto e termina em Viseu

Em sintonia com as edições anteriores, as três bandas irão atuar nas seis cidades, como se de um pequeno festival ambulante se tratasse. Cada uma irá apresentar os seus trabalhos mais recentes, assim como os temas que marcam as suas carreiras.

Os primeiros a subir ao palco serão os Lonz Dale’s Fantasy. Constituído por Nils Meisel e Kenneth Stitt, o duo natural do Porto apresenta influências punk, hip hop e box. Apesar de serem o grupo menos conhecido do evento, os Lonz Dale’s Fantasy prometem ser uma grande surpresa, com a organização a explicar que “ao vivo a performance é verdadeiramente memorável”.

Seguem-se os Solar Corona. Rodrigo Carvalho, Peter Carvalho, José Roberto Gomes e Julius Gabriel destacam-se pelo seu rock psicadélico e “sobretudo, pela paixão que colocam nos seus temas”. A banda nasceu em 2013 e no reportório conta já com três EPs e um álbum lançado este ano, o “Lightning One”.

Finalmente, a terceira e última banda a completar o circuito nacional conta com quatro digressões europeias no currículo e três álbuns. Os First Breath After Coma irão apresentar “NU”, aquele que é o seu terceiro disco “que já é considerado uma revolução na sonoridade do panorama musical português”.

Uma viagem que parece não ter fim

“Descobrir uma supernova é uma raridade, e o seu brilho é superior a 100 bilhões de estrelas da galáxia”. É desta forma que o evento começa por se dar a conhecer no seu site oficial.

Em 2017, o Espaço de Intervenção Cultural – Maus Hábitos – decidiu produzir uma noite de nova música portuguesa por mês, em parceria com a Super Bock. Depois de 6 sessões na sala portuense, a Super Nova “torna-se errante” e começa a alastrar-se a todo o território nacional.

A organização deste circuito de espetáculos ao vivo permite que três bandas tenham a oportunidade de percorrer o país durante um período de tempo, possibilitando “todas as condições para uma tour nacional”. Para a organização, este evento destina-se a um público que “acompanha as novas tendências e está atento ao que de melhor se faz na área em Portugal”.

Desde a primeira edição, o Super Nova envolveu 33 bandas, em 12 salas, com mais de 900 concertos de norte a sul do país e um público de mais de 20 mil pessoas. Nesta edição, a viagem terá seis pontos de paragem, com início no Porto e término em Viseu.

Os bilhetes para cada um dos concertos têm um custo único de 3 euros, com a exceção do Maus Hábitos, onde a entrada é livre.