Ângelo Rodrigues, atualmente no ar como Bruno na série Golpe de Sorte, da SIC, foi internado em estado crítico no Hospital Garcia de Orta, em Almada, avança o Correio da Manhã.

LÊ AQUI AS ÚLTIMAS ATUALIZAÇÕES SOBRE O ASSUNTO.

O ator deu entrada nesta unidade hospitalar na segunda (26) com uma infeção muito grave e já terá sido submetido a duas intervenções cirúrgicas para remover tecidos, avança o jornal diário.

De acordo com a mesma publicação, Ângelo está “entre a vida e a morte“. A antiga estrela de Morangos com Açúcar tem estado a fazer hemodiálise e, na sequência das complicações do seu estado clínico, já terá entrado em paragem cardíaca, depois revertida pela equipa médica.

A revista VIP adianta que esta infeção se deve ao também modelo ter feito uma reação adversa a injeções de testosterona nas nádegas. Os representantes de Ângelo Rodrigues já confirmaram o seu estado de saúde, embora não tenham feito quaisquer declarações adicionais a este respeito.

Injeções de testosterona: Qual o objetivo e quais os riscos?

Injetar testosterona pode ser feito por vários motivos: para aumentar a massa muscular, tonificar o corpo ou até melhorar a disposição e a libido. No entanto, o uso desta hormona pode trazer danos à saúde.

Em declarações ao jornal O Globo, no fim de 2018, a médica Cidinha Ikegeri sublinhava que a utilização de injeções deve ser “esclarecida e combatida“, dizendo que esta só deve ser tomada por quem tenha baixa produção da mesma. “O uso sem indicação pode trazer consequências graves e, em alguns casos, irreversíveis“, sublinhava a especialista.

Ao injetar testosterona sintética no corpo, vamos sujeitar os rins e o fígado a alguma sobrecarga, o que pode causar várias doenças. Sérgio Maurício, ortopedista e especialista em medicina do desporto, explicou à revista Glamour que “a hepatite medicamentosa pode ser uma consequência a curto prazo, chegando a ser fulminante em alguns casos“, acrescentando que “a sobrecarga do fígado, a longo prazo, leva à mutação de algumas células e pode predispor a tumores deste órgão“.