47 Metros: Medo Profundo, sequela de 47 Metros de Terror (2017), foi, tal como este último, realizado por Johannes Roberts. Não existe ligação entre as histórias, por isso se tal como eu não viram o primeiro filme, não se preocupem que não vão ficar perdidos na maré. O que se mantém é a intenção de criar um filme de terror ambientado nas profundezas do mar, onde o encontro com tubarões é certo.

Após perder a mãe, Mia (Sophie Nélisse) muda-se para o México para ir viver com a nova família do seu pai (John Corbett). Além de não estar feliz na nova escola, não se dá bem com Sasha (Corinne Foxx), a filha da sua madrasta.

Para tentar aliviar a tensão entre as jovens e para que estas criem laços, o pai de Mia, que anda ocupado a investigar uma cidade submersa, oferece-lhes bilhetes para irem ver tubarões a alimentarem-se, através de uma cabine de vidro no mar. Quando chega o dia, as jovens acabam por desistir e ir para uma espécie de lago juntamente com mais duas amigas (Brianne Tju e Sistine Rose Stallone) de Sasha.

Nesse lago é possível, com equipamento de mergulho, visitar as cavernas submersas que fazem a ligação com a cidade que está a ser investigada pelo pai de Mia. Com os materiais à mão, as quatro jovens aventuram-se para o fundo do mar.

Fotografia: 47 Meters Down: Uncaged/Divulgação

O maior problema desta longa-metragem é o argumento, mas também existem más escolhas na realização. As personagens são unidimensionais, isto é, têm poucas camadas, sabemos muito pouco sobre elas. Isto leva diretamente a que não criemos empatia suficiente para nos importarmos verdadeiramente com o que lhes acontece – em momentos de perigo é mais provável que o espetador se esteja a divertir, ao em vez de estar tenso como seria de esperar num filme com esta proposta. Só Mia, por ter o maior destaque no enredo escapa ligeiramente a esta lógica, mas ainda assim, a sua construção podia ser melhor.

Outro fator bastante negativo são os diálogos demasiado simples e repetitivos que, aliados a um elenco medíocre, dificultam a nossa imersão na história.

Além disso, o enredo perde-se em momentos de pouca relevância para o todo da história que quer contar. A forma como o filme começa já apresenta o espectador, a nível técnico, a um pequeno jump scare sem sentido – o típico elevar de som repentino – e a uma temática que não ganha importância no contexto do filme – o bullying.

Lê também: ‘Variações’ estreia a bater recordes

Porém nem todas as técnicas utilizadas falham. O filme tem um boa fotografia e efeitos visuais – o CGI dos tubarões é satisfatório e foi uma escolha inteligente criá-los cegos, pois serve de justificativa para que a sua caça se prolongue. Afinal, não é do interesse do realizador que a história termine rápido. Além disso, existe uma boa ambientação que cria uma sensação de desespero e claustrofobia – conseguimos imaginar-nos na pele das jovens.

A falta de lógica do filme em diversos momentos vai incomodar o público mais atento. É possível que, por exemplo, se questionem como as personagens conseguem comunicar entre si tão bem debaixo de água sem terem equipamento para tal? Outro momento chocante envolve a capacidade vocal de um peixe e mais não digo.

Fotografia: 47 Meters Down: Uncaged/Divulgação

No final, o espetador é presenteado com vários plotwists que envolvem gore, mas estes são meramente positivos a nível do entretenimento temporário.

Os filmes que envolvem ataques de tubarões não são novidade e, como tal, inovar torna-se um dos requisitos para que funcionem e cativem o público. Claro que além da novidade, é necessário o talento do elenco, um argumento bem organizado e os visuais aquáticos e os efeitos especiais que também já conhecemos, mas quando bem feitos, não deixam de impressionar. 47 Metros: Medo Profundo falha na maioria destes requisitos. Supostamente trata-se de um filme de terror, mas a maioria dos seus elementos convergem para que se torne numa comédia esquecível a curto prazo.

47 Metros: Medo Profundo chega às salas de cinema portuguesas no próximo dia 29 de agosto.

 

Título original: 47 Meters Down: Uncaged

Realização:  Johannes Roberts

Argumento: Johannes Roberts, Ernest Riera

Elenco: Corinne Foxx, Sistine Rose Stallone, Sophie Nélisse, Brianne Tju, Nia Long, John Corbett, Davi Santos, Khylin Rhambo, Brec Bassinger

Género: Thriller, Terror

Duração: 89 mins

 

 

'47 METROS: Medo Profundo' - Uma sequela que meteu água?
Elementos de goreFotografia e efeitos visuaisplotwistsambientação eficaz
ArgumentoDiálogosrepresentações medíocrespersonagens unidimensionais falta terrorclichés, demasiados jump scares
3.6Valor Total
Realização4.5
Argumento1.5
Elenco3
Banda sonora2
Fotografia5
Efeitos Visuais5.5
Votação do Leitor 1 Voto
3.0