A grelha da TVI às 19h está irrequieta desde que os episódios de Apanha Se Puderes com Cristina Ferreira chegaram ao fim. Depois de Like Me, Inspetor Max, A Tarde É Sua, O Chef é Você e outras aventuras, a estação optou por repetir o First Dates... e agora até ao domingo “estreou” uma repetição, da série policial 37. Mas se é para repetir, nós temos ideias melhores.

Senhores do Arquivo da TVI, preparem-se para ir buscar as cassetes, a equipa da nostalgia chegou.

1 – Anjo Selvagem

Ela era trinca-espinhas e pôs a concorrência no caraças entre 2001 e 2003. Paula Neves e José Carlos Pereira tornaram-se no casal mais famoso e popular de Portugal quando deram vida à versão portuguesa de uma novela argentina chamada Muñeca Brava.

De dia, Mariana jogava à bola e brincava com os rapazes do convento, mas à noite ia com São (Teresa Tavares) à discoteca. Numa das idas à discoteca conheceu Pedro, que viria a ser seu futuro patrão… e ficaria para sempre conhecido como bacalhau-seco, claro.

Passaram 18 anos desde a estreia, acreditamos que a qualidade de imagem pode não ser a melhor, mas as repetições servem para mostrar coisas de que os espectadores têm saudades de ver na televisão e não para repôr dating-shows de gosto duvidoso.

2 – Super Pai

Super Pai TVI

Sensivelmente da mesma época de Anjo Selvagem, Super Pai foi uma série semanal. Mas o sucesso foi tão grande que se prolongou por 174 episódios transmitidos ao longo de mais de dois anos.

Conta a história de Vasco (Luís Esparteiro), um empresário de sucesso e dono de um grande armazém de roupa feminina que acaba viúvo e com três filhas para criar. O crescimento e as aventuras de Clarinha (Filipa Maló Franco), Maria do Carmo (Sofia Arruda) e Camila (Madalena Brandão) são o foco principal numa série que representou a estreia das três na televisão e que contou ainda com Sandra Faleiro no papel da carismática Isabel, a empregada serrana que acabaria por conquistar um lugar no coração do pai de família e dos espectadores.

Quem não tem saudades de uma série para ver com toda a família?

3 – Marés Vivas

baywatch marés vivas

Fotografia: Divulgação

Quem é que ainda se lembra da altura em que o final de tarde da TVI tinha Pamela Anderson e companhia a salvar banhistas incautos nas praias da Califórnia? Provavelmente poucos, visto que o auge do sucesso da série se deu há mais de 20 anos, no fim dos gloriosos anos 90.

Estreada em 1989, esteve no ar até 2001. Em Portugal começou por ser transmitida na RTP1, mas com pouco sucesso foi recuperada pela TVI em 1995, que começou a transmiti-la diariamente ao final da tarde.

Na altura, o canal de Queluz estava longe de se afirmar como o canal da ficção nacional e dos reality-shows e tinha um programação fortemente alicerçada em séries estrangeiras, animação, informação e desporto. O share era semelhante ao que é registado nos últimos meses de 2019.

4 – Ana e os Sete

Ana e os Sete

Fotografia: Divulgação / IMDB

De stripper, Ana passa a ser a ama dos sete filhos de um dos banqueiros mais ricos de Portugal, Henrique Vilar Coutinho. Alexandra Lencastre protagonizou esta série, em dupla com Virgílio Castelo, naquele que foi mais um bem-sucedido produto de ficção familiar da TVI.

No papel dos filhos da família encontramos aquelas que são estrelas da atualidade, como Margarida Vila-Nova, Afonso Pimentel ou Mafalda Luís de Castro.

Adaptada de um original espanhol, a série esteve no ar durante cerca de um ano, entre 2003 e 2005. Na altura, a emissão foi feita aos fins-de-semana, com 104 episódios produzidos.

5 – Batatoon

Batatoon TVI

Se é para apostar no filão da nostalgia, o Batatoon não pode faltar. Batatinha e Companhia juntavam-se todas as tardes, entre 1998 e 2002, para fazer jogos com equipas de crianças que iam ao estúdio, mas também com os espectadores lá em casa. Além disso, lançavam episódios de séries animadas como Navegante da Lua, Zorro, Alvin e os Esquilos ou As Powerpuff Girls.

As saudades são muitas e não sabemos se uma repetição seria exequível, até porque poderia surgir o polémico episódio em que os dois palhaços supostamente se agridem – um mito urbano até hoje nunca esclarecido. Mas nós estamos em 2019, é a época dos reboots… não custa nada.

 

Corrigido a 20/08/2019 às 10h46 – Por lapso foi indicado o título Navegantes da Lua e não o correto Navegante da Lua, em referência ao anime Sailor Moon.