Dor e Glória
Fotografia: PRIS Audiovisuais

‘Dor e Glória’. Espalha-Factos oferece bilhetes para o novo filme de Almodóvar

O cineasta espanhol Pedro Almodóvar está de regresso aos cinemas com o novo Dor e Glória, que estreia nas salas portuguesas a 5 de setembro. Os leitores do Espalha-Factos vão poder vê-lo antes se ganharem um dos bilhetes duplos para as antestreias em Lisboa e em Gaia.

Através de um passatempo que já decorre no Instagram até 30 de agosto, o EF e a Pris Audiovisuais estão a oferecer 20 convites para que possas ver o filme antes de toda a gente e acompanhar a história de Salvador Mallo, um realizador de cinema cuja carreira entra em declínio.

A película é protagonizada por Antonio Banderas, este cineasta que se vê obrigado a pensar sobre as escolhas que fez na vida quando é confrontado pelo passado. Entre lembranças e reencontros, reflete sobre a sua infância nos anos 60, o processo de imigração para Espanha, o seu primeiro amor e ainda a relação que tem com a escrita e o cinema. Penélope Cruz também faz parte do elenco, interpretando o papel de mãe do protagonista, e a cantora Rosalía faz uma participação especial.

Para ganhar um dos bilhetes para o filme, o processo é simples. Tens que:

  1. Seguir o @espalhafactos e a @prisfilmes no Instagram;
  2. Identificar um amigo nos comentários a esta publicação e indicar, no mesmo comentário, qual é o local onde preferes ver o filme (Gaia – Arrábida Shopping / Lisboa – El Corte Inglés).
  3. Partilhar a publicação do Espalha-Factos nas tuas stories identificando o @espalhafactos e a @prisfilmes.

Dor e Glória, que estreou em Espanha a 22 de março deste ano, já é o filme nacional mais visto do ano em terras de nuestros hermanos, com receitas de bilheteira superiores a seis milhões de euros. António Banderas recebeu o Prémio de Melhor Ator no Festival de Cinema de Cannes, onde o filme foi apresentado.

 

 

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Parlamento Europeu
Nas democracias do algoritmo, onde fica a liberdade de imprensa?