Sozinho em Casa é um dos filmes que vai ganhar um reboot no Disney+, novo serviço de streaming. À Noite no Museu, O Diário de Um Banana e À Dúzia é Mais Barato são outros sucessos familiares que vão ter novas versões.

Todas estas produções têm uma coisa em comum: pertencem ao catálogo da 20th Century Fox, incluída no grande pacote de aquisições que a Disney fez à Fox, num negócio que se aproximou dos 70 mil milhões de euros. A gigante da animação prepara-se assim para potenciar o portefólio que agora tem em mãos e replicar, com os clássicos que agora tem em carteira, o grande sucesso que teve a reimaginar e relançar os seus próprios clássicos de animação.

Sozinho em Casa, lançado em 1990, impulsionou Macaulay Culkin para o estrelato mundial e tornou-se um clássico natalício instantâneo. Em Portugal é um fenómeno especialmente duradouro, representando anualmente um dos momentos de maior audiência das transmissões televisivas na época natalícia. Resta saber se, no relançamento, a magia se mantém.

Estes novos reboots vão ser os primeiros a ser lançados para o streaming. Até agora, a Disney tem feito este tipo de lançamentos diretamente nas salas de cinema, com as duas últimas estreias deste ano, Aladino e O Rei Leão, a representarem dois dos maiores sucessos no filão. A nova versão da aventura de Simba já superou a marca de mil milhões de euros em receita de bilheteira mundial.

Foi o CEO Bob Iger que revelou esta terça-feira (6) o empenho da empresa em usar os títulos da Fox para “enriquecer o mix de conteúdo das plataformas“, não deixando claro se estas novas versões vão corresponder a novos filmes ou a séries televisivas, mas sublinhando que serão “reimaginadas para as novas gerações“.

Esta é a primeira vez que a Disney fala abertamente sobre o papel do catálogo da Fox nas suas próximas apostas. O Disney+ chega em novembro ao mercado norte-americano, com uma mensalidade de 6,25 euros. Estarão disponíveis mais de 300 horas de conteúdos da Fox por altura do lançamento.