Sem surpresa, num domingo (4) marcado pela Supertaça Cândido de Oliveira, a RTP1 foi líder destacada na televisão portuguesa. A estação pública registou 20,3% de share, quase cinco pontos acima dos 15,5% da SIC. A TVI repetiu o terceiro lugar da véspera, com 13,8% de share.

O Benfica x Sporting, que marcou o início da nova época, foi visto em média por 2 milhões e 134 mil espectadores, correspondentes a 22,5% de audiência e 46,6% de share.

A cerimónia de entrega do troféu foi o segundo programa mais visto do dia, com 1 milhão e 375 mil espectadores (14,5% / 31,5%). Curiosamente, o melhor minuto do jogo registou-se no final da primeira parte, às 21h35, com 25,9% de audiência.

O jogo da Supertaça esteve quase sempre acima dos 50% de share na primeira parte, que terminou com uma vantagem de 1-0 para o Benfica. Na segunda parte, em que o jogo foi mais desequilibrado e os encarnados conseguiram chegar ao 5-0, o share só chegou aos 50% nos minutos finais.

Com concorrência de peso no coração do horário nobre, SIC e TVI passaram por dificuldades. O Jornal da Noite (6,4% / 14,8%) e o Jornal das 8 (6,1% / 13,9%) estiveram muito aquém do habitual. Também o Quem Quer Namorar com o Agricultor?, que concorreu na totalidade com o jogo, bateu novo mínimo e caiu para os 8,9% / 17,5%.

A Tua Cara Não Me é Estranha, com um Especial Filmes pré-gravado, ficou-se por uma média de 572 mil espectadores (6,0% / 14,6%). O programa da TVI só conseguiu estabilizar acima dos 10% de share após o final do jogo na RTP1, tendo depois liderado a partir das 23h50.

Terminado o jogo, a SIC apostou na estreia de uma nova temporada do Não há Crise!, desta vez com apresentação de Fernando Rocha. O programa de apanhados foi líder a partir das 23h, com 754 mil espectadores (8,0% / 19,0%).

Volta tira liderança ao Somos Portugal

Em dia de subida à Torre, na Serra da Estrela, a Volta a Portugal teve aquela que, até agora, foi a etapa mais vista desta edição. Cerca de 624 mil espectadores acompanharam aquela que é sempre uma das mais aguardadas etapas da Volta, o correspondente a 6,6% de audiência e 22,0% de share.

A RTP1 agarrou a liderança perto das 15h30 e só a largou por volta das 17h50, no final da etapa. Antes disso, a Volta atingiu shares próximos dos 27%, marcando mais do que SIC e TVI somadas.

No resto da tarde, as duas privadas repartiram a liderança. A SIC vinha da hora de almoço com uma vantagem esmagadora: o Vida Selvagem bateu recorde anual na faixa do meio-dia, com 744 mil espectadores (7,9%) e um share de 28,2%, mais do que o que a soma da TVI e da RTP1, que rondavam os 12% cada uma com o Somos Portugal e o Há Volta.

O Primeiro Jornal manteve o domínio da SIC, conseguindo uma média de 870 mil espectadores (9,2% / 29,1%). Foi o melhor programa do canal e o noticiário mais visto do dia, esmagando no seu horário o Jornal da Tarde (5,1% / 16,0%) e o Jornal da Uma (4,9% / 15,5%). O Fama Show aproveitou o embalo e liderou ao início da tarde, com 6,2% / 20,5%.

O Somos Portugal (5,2% / 16,9%) esteve à frente entre as 15h e as 15h30, só recuperando a liderança por volta das 17h50, após o fim do ciclismo na RTP1. Na SIC, o filme Velocidade Furiosa – Ligação Tóquio intrometeu-se na luta pela liderança em alguns momentos, sendo visto por 503 mil espectadores (5,3% / 16,2%).

Outros destaques do dia
  • O Trio d’Ataque, dedicado à análise da Supertaça na RTP3, registou máximo anual de audiência, com 189 mil espectadores (2,0% / 5,2%). Às 23h16 atingia um pico de 2,8% de audiência.
  • A RTP1 estreou a minissérie Ruth – A Pérola do Índico, dedicada à vida de Eusébio. Transmitidos após a Supertaça, os dois episódios tiveram respectivamente 365 mil (3,9% / 9,9%) e 148 mil espectadores (1,6% / 6,4%).