Já lá vai o tempo em que para ter uma alimentação saudável era preciso alinhar em dietas malucas. A falta de informação ou a falta de tempo são, na maioria das vezes, os dois maiores entraves a uma dieta saudável. superalimentos

A boa notícia é que não precisamos de dominar a confeção de alimentos para conseguirmos fazer uma refeição mais equilibrada. O segredo está em escolher os alimentos certos – os chamados superalimentos.

Os superalimentos, além de ofereceram ao organismo um boost de nutrientes, minerais e vitaminas, também são ótimos para reforçar o sistema imunitário.

Neste artigo, damos-te cinco sugestões de superalimentos, presentes no livro 50 Super Alimentos Portugueses (Matéria-Prima Edições), de Pedro Carvalho e Vítor Hugo Ferreira.

1 – Abóbora

superalimentos

A abóbora tem propriedades antioxidantes.

Nem só para sopa se cozinha a abóbora. Pode também ser utilizada em entradas ou até sobremesas – sem desperdício – desde a casca ao recheio e às sementes.

Além de ser rica em vitamina A, a abóbora tem propriedades antioxidantes que são muito benéficas na prevenção de problemas relacionados com a visão (à semelhança da cenoura).

Uma das potencialidades pouco exploradas da abóbora passa pelas suas sementes que, aos nutrimentos exibidos pela polpa, acrescentam ferro, zinco, magnésio e fósforo”, lê-se no livro 50 Super Alimentos Portugueses.

2 – Cebola

superalimentos

É mais benéfica se for ingerida crua.

Na maioria das casas portuguesas, a cebola é apenas utilizada para refogados e temperos. Poucos sabem, mas a cebola é rica em flavonóides e vitamina C e tem estado associada à prevenção de vários tipos de cancro, principalmente os do sistema digestivo, além de ter “efeito benéfico na densidade mineral óssea das mulheres, antes e após a menopausa”, lê-se no livro.

À semelhança de muitos alimentos, quando cozinhada a altas temperaturas, a cebola pode perder algumas das suas propriedades. É mais benéfica quando é ingerida crua.

3 – Coentros

superalimentos

Esta erva aromática é benéfica para o sistema digestivo.

Os coentros fazem parte do grupo de alimentos que, pelo sabor caraterístico, se adoram ou se odeiam.

Esta erva aromática é rica em vitamina C, K cálcio e potássio. Segundo Pedro Carvalho e Vítor Hugo Ferreira, “no que concerne à saúde digestiva, tem sido reportado o efeito benéfico dos coentros na diminuição da flatulência e do consequente desconforto abdominal e na regularização do transito intestinal”.

4 – Espinafres

superalimentos

O consumo de espinafres deve ser moderado para quem tiver as chamadas “pedras” nos rins.

O Popeye tinha razão. Os espinafres, a hortícola preferida do marinheiro mais famoso do mundo, tem inúmeros benefícios para o nosso sistema cardiovascular, além da elevada concentração de vitaminas A, K e C.

Ainda assim, quem tiver problemas com cálculos renais (vulgarmente conhecidos como “pedras nos rins”) e hiperuricemia (níveis altos de ácido úrico no sangue) deve ter atenção ao consumo desta hortícola.

5 – Nozes

superalimentos

As nozes estão associadas à prevenção de vários tipos de cancro.

Já todos ouvimos falar dos muitos benefícios dos frutos secos. Desta vez, falamos das nozes.

Diversos estudos demonstram consistentemente que o consumo regular de nozes, como parte de uma alimentação saudável, reduz de forma inequívoca o colesterol total e LDL (em média 7%), sem afetar os níveis de HDL (o chamado de bom colesterol)”, lê-se no livro 50 Super Alimentos Portugueses.

Segundo os autores, um quarto de chávena de nozes satisfaz 90% da necessidade de ácidos gordos ómega 3 – que conferem proteção cardiovascular, reduzem os triglicerídeos, otimizam a função cognitiva e têm uma ação anti-inflamatória.

As nozes também estão associadas à prevenção do cancro da próstata, do esófago, do estômago, do cólon e do reto.