Pulp Fiction ficou disponível na Netflix esta quinta-feira (1). O filme de Quentin Tarantino deu-nos deu alguns dos “memes” mais incríveis para a vida e também alguns dos temas musicais mais icónicos das décadas de sessenta e setenta. Recordamos aqui alguns.

Numa altura em que se estreia um novo filme de Quentin Tarantino, Once Upon a Time in Hollywood, (também com banda sonora condizente, como sempre), voltamos a uma das suas (várias) obras-primas. Pulp Fiction saiu no ano de 1994 e além da realização, elenco e argumento fantásticos conta com uma banda sonora impecável.

Dick Dale & His Del-Tones – ‘Misirlou’

Tudo começa com a icónica dança de Uma Thurman e John Travolta ao som de ‘Misirlou’, tema de Dick Dale & His Del-Tones, que evoca o surf rock e convida a um jogo de ancas. Recorde-se que cerca de uma década depois os Black Eyed Peas usaram um sample do tema em Pump It.

Al Green – ‘Let’s Stay Together

Com Al Green, a chamada “música para fazer bebés” ganha toda uma nova expressão. É que só de ouvir a pessoa poderia engravidar. No filme surge numa cena com o “brutamontes” Marcellus e é absolutamente deliciosa de tão absurda.

Dusty Springfield – ‘Son Of a Preacher Man

Mais um tema fabuloso dos anos sessenta e carregado de sensualidade. Dusty Springfield é considerada uma das melhores vozes de todos os tempos e em Pulp Fiction é ela que dá o mote para o encontro entre Vincent e Mia. Momento épico.

Urge Overkill – ‘Girl You’ll Be a Woman Soon’

Este tema de 1967 da autoria de Neil Diamond foi interpretado para o filme por Urge Overkill. Dá ambiência a uma das cenas mais soberbas do filme, quando Mia consome as drogas que a levarão à overdose.

The Lively Ones – ‘Surf Rider

Os californianos The Lively Ones surgem no final do filme com o surf rock instrumental dos anos sessenta que convida a uma celebração da vida da forma o mais selvagem, livre e feliz possível. Um final que nos faz querer voltar a este filme e a esta banda sonora várias vezes ao longo da vida.

Pulp Fiction chegou este mês à Netflix, no mesmo dia que filmes como EuroTrip, Firewall e Capitão América. O clássico realizado por Quentin Tarantino estreou-se há 25 anos no Festival de Cannes.

Lê Também: Angel Olsen anuncia novo disco e dois concertos em Portugal