Duas semanas depois da estreia da terceira parte, La Casa de Papel continua a provar que é uma aposta certeira entre as produções internacionais da Netflix. A nova temporada do drama espanhol foi vista por mais de 34 milhões de contas do serviço nos primeiros sete dias em exibição.

Segundo a Variety, este resultado corresponde à melhor primeira semana para uma série da Netflix em língua não-inglesa. Além deste feito, esta nova temporada quebrou o recorde da série original da plataforma de streaming mais vista de sempre em qualquer idioma (incluindo inglês) em vários territórios ao redor do mundo.

Nos primeiros dias depois do lançamento, a 19 de julho, a terceira parte de La Casa de Papel foi vista por 34.355.956 contas Netflix em todo o mundo, confirmou a plataforma à referida publicação – o que sugere que o número de espectadores individuais será ainda mais elevado.

la casa de papel

A terceira parte de ‘La Casa de Papel’ bateu o recorde de série mais vista na Netflix. (Fotografia: Netflix)

Entre as localidades em que a série chegou a mais pessoas encontram-se diversos países europeus e da América Latina. Além de Espanha, países como França, Itália, Argentina, Brasil, Chile e Portugal estão nos lugares cimeiros da lista em que o recorde foi quebrado. A série também foi alvo de elevada atenção em territórios como a Índia.

A divulgação destes dados contraria a política habitual da Netflix de não revelar o número de espectadores das suas produções, mas o serviço confirmou que o mês de julho trouxe dois recordes de audiência.

Mais de 70% das contas do serviço (acima de 24 milhões) terminaram a série na sua primeira semana de exibição, ultrapassando o recorde até aí detido pela estreia da terceira temporada de Stranger Things, que foi vista na totalidade por cerca de 18 milhões de utilizadores (que, no entanto, mantém o recorde total, tendo sido iniciada a visualização por mais de 40 milhões de contas em quatro dias).

O sucesso em Portugal

Estando Portugal na lista de países em que a série bateu o recorde de audiência de produção Netflix mais vista de sempre em qualquer idioma, existem vários fatores que contribuíram para o sucesso em território nacional.

A série de Álex Pina, produzida no país vizinho, introduziu na terceira parte a assaltante Lisboa, o nome adotado pela antiga agente da autoridade Raquel Murillo (Itziar Ituño) na sua nova faceta criminosa – além de algumas referências ao nosso país, como a bandeira portuguesa no barco que usam para escapar depois da primeira aventura na Casa da Moeda espanhola.

A atriz que dá vida à personagem foi a cara da promoção a La Casa de Papel em Portugal e esteve na capital para divulgar a série, com entrevistas em formatos como O Programa da Cristina, líder de audiências. Com a plataforma a investir na divulgação em território nacional, Itziar Ituño deu ainda vida a uma professora improvisada num assalto para roubar o ouro português” – a receita original dos Pastéis de Belém.

Mas o maior alvo de entusiasmo dos fãs da série surgiu com o vídeo que apresenta a personagem pela primeira vez. O anúncio, que recebeu perto de um milhão de visualizações no Facebook e mais de 800 mil no YouTube, mostra Raquel a receber um telefonema do Professor de Portugal (em alusão ao Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa), que dá as boas vindas a Lisboa.

A terceira parte de La Casa de Papel está atualmente em exibição no catálogo português da Netflix. Está confirmado o regresso da produção para uma quarta temporada, ainda sem data de estreia definida, que promete atar as pontas soltas deixadas no final da Parte 3.

Lê também: Crítica. ‘La Casa de Papel 3’: o perfeito binge-watch cheio de reviravoltas