O destino está escolhido, a estadia marcada e só resta saberes de que forma é que te vais deslocar até ao local eleito para as férias que bem mereces, certo?

Se ir de carro for uma opção, alugar um veículo para as tuas férias, privilegiar a independência de horários dos transportes públicos e desfrutar da experiência de condução de um veículo diferente poderão ser fatores decisivos.

Nos dias que correm, para além de ser um processo simples, o aluguer de um bom veículo a um preço acessível é possível. Para além do aluguer de carros tradicional, o “car sharing”, solução que facilita a deslocação sobretudo em meios urbanos, também chegou para ficar em Portugal. Fica a conhecer o conceito.

O aluguer de automóveis é bastante útil e, tantas vezes, atendendo a horário, ligações e limitações de tempo, o método mais eficaz para deslocação em férias sem qualquer constrangimento. Nos dias que correm, alugar um carro é um processo simples. São várias as rent-a-car que apresentam a oferta online e existem também diversas plataformas que permitem ao cliente escolher as melhores opções, tais como o portal https://www.aluguerdecarrosbaratos.pt.

Uma vez tomada a decisão, é hora de te fazeres à estrada. Os primeiros conselhos nem são tão voltados para a questão do carro em si, mas sim para o contexto em que te encontras. Ler um pouco sobre as regras e limites das estradas do país para o qual vais viajar é sempre algo a ter em conta, tendo em conta que esse tipo de informação não é linear em todos os países. Para mais informações sobre a circulação com carros alugados em países da União Europeia, aceder a https://europa.eu/youreurope/citizens/travel/driving-abroad/car-rental-abroad/index_pt.htm poderá ser importante. Caso tenhas necessidade de reportar alguma emergência, nos países da União Europeia, o número para esse efeito é sempre o mesmo – 112.

“Car sharing”, a alternativa para viagens curtas

O conceito de “car sharing” ainda é uma novidade no mundo da mobilidade portuguesa. A tradução à letra sugere “partilha de carro”, mas é insuficiente para explicar o conceito e pode até desviar-nos para um outro conceito, o de “Car Pooling”. Aproveitando também para distinguir as duas modalidades, o “Car Pooling” é, no fundo, uma forma de boleia ajustada aos dias de hoje, com recurso a sites e plataformas digitais para encontrar pessoas que façam o mesmo trajeto e estejam dispostas a seguir na mesma viatura.

Em termos simples, o “car sharing” consiste no aluguer de um automóvel por curtos períodos de tempo, sem motorista e de forma altamente facilitada, sem papéis ou levantamento de chaves para o efeito.

Ao contrário do que acontece no aluguer “standard” de automóveis, os carros disponíveis para “car sharing” não estão disponíveis num determinado stand, mas sim estacionados em vários pontos da cidade. Para poder conduzir os carros destinados a esse efeito, o potencial cliente deve estar registado numa plataforma de uma empresa de “car sharing”, solução que viabiliza o aluguer quase instantâneo da viatura. Para além disso, é através das plataformas (e respetivas aplicações) que o cliente poderá localizar as viaturas mais próximas e ligá-las. A viagem começa assim que o cliente quiser e não é necessário devolver o carro ao sítio de recolha, bastando estacionar num local disponível para tal. As principais vantagens associadas ao serviço de “Car Sharing” estão associadas à mobilidade acrescida que proporciona, dado que permitem ao cliente deslocar-se até pontos que os transportes públicos podem ou não servir sem precisar de recorrer a plataformas com motoristas que, regra geral, são mais caras que o “Car Sharing”.

Car

Fotografia: Pixabay

No que toca a preços, estes variam de empresa para empresa, mas os métodos e padrões de cobrança são idênticos. Assim que o utilizador se regista numa plataforma de “car sharing”, associa dados de pagamento à sua conta de utilizador – um cartão por exemplo. A utilização do carro é taxada ao minuto. Ou seja, por cada minuto de utilização, é subtraída uma determinada quantia de forma direta à conta do cliente que está a utilizar o carro.

Dentro da própria empresa, as próprias tarifas variam de carro para casa, algo normal dado que o prelo de utilização de cada carro contempla combustível, seguro, estacionamenteo e manutenção. Nota que, para estares registado numa plataforma de “Car Sharing” e usufuíres do serviço, não é necessária qualquer tipo de fidelização nem pagamento de mensalidade. Só as viagens realizadas são pagas, de acordo com as tarifas estabelecidas pela empresa.

Para além deste tipo de solução ao minuto, as empresas costumam também disponibilizar “packs” de minutos, beneficiando quem utiliza este tipo de serviço de forma mais recorrente – os preços do pack são mais baixos que as tarifas normais no mesmo espaço temporal.