O regresso aos palcos dos Da Weasel vai acontecer em 2020 no NOS Alive, num concerto  que, de acordo com a organização do festival, será “exclusivo”. O Espalha-Factos explica a importância deste retorno de um dos maiores grupos portugueses.

“Adivinha quem voltou, comeu e não calou

Mais uma vez a doninha arrancou

Pronta a estourar em 95”

É verdade que já não estamos nos anos 1990 nem nos anos 2000. Em pleno 2019, um anúncio do regresso dos Da Weasel não era algo que o grande público estivesse à espera. Fundado em 1993 em Almada, o grupo não é apenas um dos maiores do cena do hip-hop nacional, mas é também um dos maiores nomes da música portuguesa destes últimos anos.

Ao todo são 17 anos de carreira, com um EP, seis álbuns de estúdio e três discos ao vivo editados. O salto para o mainstream aconteceu em 2004, com o lançamento de Re-Definições. Na época, o disco foi um sucesso comercial em Portugal, graças a canções como ‘Re-Tratamento‘, ‘Força‘ e ‘Casa (vem fazer de conta)‘.

Nesse ano, a banda almadense venceu o prémio Best Portuguese Act nos MTV Europe Music Awards e, depois, conquistaria também dois Globos de Ouro, um para Melhor Grupo e outro para Melhor Canção, atribuído a “Re-tratamento”.

Depois de terem editado Amor, Escárnio e Maldizer, em 2007, os Da Weasel decidiram fazer um hiato dois anos depois, que acabou por ser transformar numa pausa definitiva em 2010. Até hoje nunca houve uma explicação oficial para o fim. Numa entrevista à Blitz em 2012, Virgul refere que “houve uma pessoa que disse que a banda já não fazia sentido”.

Em 2017, surgiu um evento na rede social Facebook, alegadamente criado por um fã, que anunciava um concerto dos Da Weasel na Meo Arena (hoje Altice Arena). O rumor acabou por cair por terra quando Carlos Nobre, rapper do grupo, desmentiu o acontecimento. Em entrevista ao Público, o músico considerou a situação como “uma não notícia“.

 “Perdidos e Achados”

O fim da banda não significou o fim da criatividade musical dos seus integrantes.

Pac-Man virou Carlão e conseguiu construir uma carreira a solo com bastante sucesso e visbilidade mediática. Virgul teve um incursão pelos Nu Soul Family mas acabou por seguir o mesmo caminho.

Noutros espectros, DJ Glue lançou o seu primeiro EP em nome próprio no ano passado. Jay-Jay e Pedro Quaresma, o baixista e guitarrista respetivamente, chegaram a fundar um outro projeto – os Teratron –  e editaram um álbum conceptual, mas foi sol de pouca dura. Atualmente Pedro Quaresma está ligado a um lado mais técnico da música na editora Mano a Mano.

Por fim o baterista Guilherme Silva foi o elemento que mais se afastou da música, ao focar-se na gerência de uma loja streetwear, outra das suas paixões,

No momento em que anúncio foi feito na conferência imprensa do NOS Alive, os Da Weasel abriram uma página oficial no Instagram. Será que vem aí novo álbum? Para já, parece que não: “não vamos fazer rigorosamente nada de novo”, garantiu o grupo na conferência de imprensa, citado pela Blitz.

Independentemente do que futuro reserva, no dia 11 de julho de 2020, Carlão, Virgul, DJ Glue, Jay-Jay, Pedro Quaresma e Guilherme Silva vão estar juntos no mesmo palco para “ressuscitar” a Doninha.