Auga Seca é mais uma co-produção da RTP com a Televisão da Galiza. Desta feita o produto final é uma série de seis episódios. Define-se como um thriller policial que tem como pano de fundo as cidades de Vigo e Lisboa. O tráfico de armas vai ser um dos temas a explorar.

O Espalha-Factos esteve na apresentação da série e conversou com alguns elementos do elenco para descobrir mais sobre este projeto.

A morte de Paulo (João Arrais) dá o mote à série. É a partir daí que a trama se desenrola, já que as circunstâncias da morte levantam suspeitas à irmã, Teresa, interpretada por Vitória Guerra.

Talvez por este desaparecimento estar envolvo em tanto secretismo e ter tanta importância para a história de Auga Seca, João Arrais não se arrisca muito nas respostas.

“Não posso contar, se não tira a piada. É a mesma coisa que a Guerra dos Tronos. Se te spoilassem o final nem tinhas começado”, compara o ator quando questionado sobre a contribuição do personagem para a trama.

João Arrais. Fonte: RTP

A investigar este desaparecimento vai estar uma dupla de polícias portugueses interpretados por Marta Andrino e João Pedro Dantas.

O ator que aqui dá vida ao agente Machado também não quis destapar muito do véu daquilo que se vai poder ver na série.

“Sou um polícia infiltrado. Aquilo que eu demonstro para as outras personagens é que somos um casal, eu e a Marta Andrino. É atuar de forma sóbria, como se fosse uma coisa muito natural”, adianta João Pedro Dantas.

João Pedro Dantas. Fonte: RTP

“Disparei com kalashnikovs. Nunca o tinha feito”

Até mesmo para um veterano no mundo da interpretação, cada projeto traz surpresas e novidades. Em Auga Seca, Adriano Luz vai ser Lázaro, um ex militar que ficou marcado física e psicologicamente pela guerra e que está envolvido numa rede de tráfico em Espanha.

“É um tipo sombrio. Sombrio do ponto de vista do carácter. É um tipo misterioso e algo perigoso. Disparei com kalashnikovs. Nunca o tinha feito” avança o ator.

Adriano Luz. Fonte: RTP

Sobre se Lázaro é ou não o vilão desta série, Adriano Luz disse ao Espalha-Factos que não vê as personagens entre bons e maus da fita. Para si a divisão é feita entre interessantes e desinteressantes.

“Este (Lázaro) é interessante”, afirma o ator.

Vitória Guerra e Joana Santos em papéis completamente diferentes

Em Auga Seca, Vitória Guerra e Joana Santos dão vida a Teresa e Laura respetivamente. As atrizes afirmam que são personagens diferentes daquelas a que nos têm acostumado.

Teresa é a clara protagonista da série ao tentar entre Lisboa e Vigo descobrir mais sobre a morte do irmão. Conta com a ajuda de Laura, proprietária de um café em Vigo e amiga de longa data para o conseguir.

“A Laura predispõe-se a ajudar no que for preciso. Só que ao mesmo tempo a Laura tem os pés um bocadinho mais assentes na terra, tem medo do que possa ser isto (contornos da morte) e as vezes tenta chamá-la à razão”, descreve Joana Santos.

Auga Seca Joana Santos

Joana Santos. Fonte: RTP

A atriz diz que voltar a trabalhar com Vitória Guerra foi uma dos motivos que a levaram a abraçar este projeto, mas não tem problemas em elencar mais alguns.

“O facto de ser uma série, de não ser em Portugal, de ser uma personagem diferente até fisicamente de tudo o que tenho feito até agora. E ao mesmo tempo de ser de certa forma uma coisa mais leve para mim”, afirma Joana Santos.

Vitória Guerra confessa ter telefonado à colega quando soube que existia a possibilidade de fazerem Auga Seca juntas.

“Para além de ter gostado muito dos guiões e de ser uma personagem muito diferente de tudo o que eu fiz. Apesar de ser um bocadinho dramático com toda a envolvente da morte do irmão ela é uma mulher com muita garra, muito independente, muito solitária… Uma mulher mais tough. Normalmente não é o meu type-cast. É sair da minha zona de conforto”, acrescenta a atriz.

Auga Seca Vitória Guerra

O desafio de dar vida a Teresa passa também pela língua já que tem que falar em galego, uma língua que não dominava antes de começar as gravações.

É precisamente desta mistura de sonoridades entre o português e o galego que a série vai viver, contando também com atores da Galiza  no elenco. Outra das misturas bem patentes no projeto é a dos negócios ilegais do tráfico de armas com o mundo empresarial.

Auga Seca ainda não tem data de estreia marcada, mas deverá chegar ao pequeno ecrã no final de 2019.