Felipe Oliveira Baptista passa a assumir a direção criativa da Kenzo, marca de luxo pertencente ao grupo LVMH. Para além de supervisionar todas as coleções da marca, o designer de moda açoriano também revelará as suas primeiras propostas para homem e senhora na Semana de Moda de Paris, no início de 2020.

Formou-se em Londres e iniciou a sua carreira na Max Mara, passando depois pela Christophe Lemaire e Cerruti, entre 1997 e 2001. Em 2002, venceu o prestigiado prémio do Festival de Hyères e no ano seguinte fundou a sua própria marca, distinguida com o prémio ANDAM por duas vezes, mas suspendida em 2014. Em 2004, já a sua coleção de outono/inverno figurava na ModaLisboa.

LÊ TAMBÉM: COMEÇA AMANHÃ NO AMOREIRAS OS SUNSETS COM O CLIMA A 360º (DE VISTA, CLARO)

Em 2010, juntou-se à Lacoste, tendo duplicado as vendas da marca e atraído consumidores de gerações mais novas, através de um sportswear urbano e cool. Mas nem oito anos à frente da marca foram suficientes para o criativo. Mais de um ano após deixar a Lacoste, Felipe Oliveira Baptista torna-se o novo diretor criativo da Kenzo, cargo anteriormente ocupado pela dupla norte-americana Carol Lim e Humberto Leon.

“A sua visão criativa moderna e inovadora e a sua abordagem artística abrangente permitirão que a casa continue a desenvolver o seu potencial, respeitando o seu património único”, declarou Sylvie Colin, diretora executiva da Kenzo, ao WWD.

O designer revela-se entusiasmado por aceitar o desafio de liderar a marca, mantendo sempre presente o legado deixado pelos seus antecessores. Num comunicado divulgado pelo grupo francês LVMH esta segunda-feira, sublinha: “Kenzo é liberdade e movimento contagiosos. Tudo o que [Kenzo] Takada fez foi cheio de alegria, elegância e de um senso de humor frio e atrevido”.  Ainda referindo-se ao fundador da casa de costura, também menciona o modo como este “celebra a natureza e a diversidade cultural, duas temáticas que nunca lhe parecerem “mais relevantes e convincentes do que hoje e que serão instrumentais para o futuro da Kenzo”.

 

Ver esta publicação no Instagram

 

BREAKING GOOD 💥

Uma publicação partilhada por felipeoliveirabaptista (@felipeoliveirabaptista) a 30 de Jun, 2019 às 9:59 PDT

A directora-executiva da Kenzo, Sylvie Colin, acredita que o português foi uma adição promissora à marca. À publicação WWD, citada pela Vogue, confia:

“Ele tem uma visão criativa de 360º e irá supervisionar a direcção artística a nível global, lidando tanto com as colecções como com a comunicação”.

Para além disso, ainda acrescenta que o criador é compatível com a marca francesa:

“Tem a ver com uma certa sofisticação diária, silhuetas que são ao mesmo tempo chique e desportivas.”

Por sua vez, o presidente do grupo LVMH, Sidney Toledano, vê outras qualidades no criador. “O talento de Felipe Oliveira, como designer, o seu domínio do vestuário e as suas raízes pessoais com origem em culturas muito distintas são apontados como “activos reais para dar uma nova energia criativa à Kenzo”, lê-se no comunicado do grupo.

Assim, Felipe Oliveira Baptista prepara-se para assumir de imediato o cargo, aprontando-se a, tal como garante o grupo LVMH,“escrever uma nova página na história da casa fundada em 1970”.