Celebra-se hoje, dia 28 de junho, o quinquagésimo da Stonewall, um dos eventos mais importantes na história do movimento de libertação LGBTQI+ que ainda hoje é essencial na identificação da comunidade.

Tudo começou nas primeiras horas da manhã de 28 de 1969. Na cidade de Nova Iorque, um grupo de jovens pertencentes ao movimento LGBTQI+, que se identificam como homossexuais, transexuais e drag queens, decidiu lutar contra o abuso da polícia que se fazia sentir contra estes grupos, durante uma operação policial no Stonewall Inn, um bar gay situado em  Greenwich Village. Esta foi a segunda operação do género no espaço de uma semana.

Agressões físicas e verbais entre o corpo policial e membros da comunidade desencadearam, assim como vandalização e tentativas de destruição do local. Contudo, com o espírito de violência veio também um espírito de união, entre os membros da comunidade, contra a opressão homossexual vivida até ao momento.

Nesta noite, cerca de 13 manifestantes foram detidos e um agente da polícia ficou ferido.

O tumulto continuou até ao dia 1 de julho de 1969 juntando mais protestantes no mesmo espaço, muitos destes turistas ou espectadores presentes no local.

Stonewall

Stonewall Riots/ Wikipedia

O ambiente de tensão entre força policial e os membros da comunidade era notório nos Estados Unidos durante as décadas de 50 e 69. Em vários estados norte-americanos a homossexualidade era considerada como ilegal, exceto o estado de Illinois, para muitos era também uma doença do foro psicológico.

Homossexuais, transesuxais, drag queens e outros indivíduos que se identificassem com o movimento LGBTQI+ viviam em segredo com o risco de perderem os seus empregos, casa e reputação caso fossem “descobertos”.

Neste sentido, o Stonewall Inn era visto como um refúgio por ser o único bar homossexual onde não era necessário cada um esconder quem verdadeiramente era. Porém, o estabelecimento era dirigido por membros da máfia italiana e, como tal, estava também associado a um ambiente de violência.

View this post on Instagram

Happy Pride Month @thestonewallinn

A post shared by The Stonewall Inn (Official) (@thestonewallinn) on

As manifestações de Stonewall foram um sinal de mudança e de fortalecimento do movimento LGBTQI+, e levou a um sentimento de urgência por ações que avançassem com esta mesma transição.

Em seguimento destes eventos, no dia 4 de julho de 1969 a Sociedade Mattachine, a primeira organização homófila dos Estados Unidos, formada em 1950, realizou o seu piquete anual, em frente ao Independence Hall (Filadélfia) e publicou o seu Lembrete Anual onde pedia aos manifestantes e apoiantes para manterem uma postura calma e pacífica nas ruas.

Lê Também: ONDE É QUE PODES CELEBRAR O ORGULHO LGBT EM PORTUGAL?

Muitas outras conquistas foram conseguidas nos Estados Unidos com o evento de 69. Conquistas estas que, atualmente, se verificam em vários países do mundo, tais como o as marchas Gay Pride e a Gay Liberation Front (GLF).

Em Portugal, a descriminalização da homossexual apenas foi implementada no ano de 1992 e, em 1999, a Lei das Uniões de Facto passa a aplicar-se também aos casais homossexuais.

Em abril 1996, é fundada a ILGA-Portugal, por um grupo da activistas homossexuais vindos da luta contra a sida, e, nesse mesmo ano, é criado  o portal PortugalGay.pt, o primeiro portal para a comunidade LGBTQI+ em Portugal.

É apenas no ano de 2000 que decorre a primeira marcha pride nas ruas de Lisboa, no entanto

Atualmente, comunidade LGBTQI+ portuguesa têm vindo a crescer e a tornar-se cada vez mais forte na luta a favor da igualdade e a não-discriminação.