Chegou hoje à Netflix a curta-metragem que Paul Thomas Anderson gravou com Thom Yorke e que serve de apresentação a Anima, o novo disco a solo do líder dos Radiohead.

Thom Yorke junta-se ao realizador que tem acompanhado os Radiohead em vários telediscos como Daydreaming ou Present Tense, para uma curta-metragem de 15 minutos que põe Carl Jung ao barulho. Thom Yorke recorre ao psicanalista suíço para explorar a ideia de anima. Isto é, o “eu” interior que muitas vezes se manifesta como uma parte feminina de uma mentalidade masculina.

Este trabalho surge assim como uma one-reeler, termo usado sobretudo na era dos filmes mudos, de curta-duração e com um lado cómico ou caricatural. Desenrola-se ao longo de três temas do disco que é também hoje lançado: Not The News, Traffic e Dawn Chorus. Funciona, pois, como uma espécie de longo videoclipe, se quisermos.

Começa no metro, onde Thom Yorke e tantos outros passageiros vão dormitando e cambaleando. Na saída do transporte público, cada um segue a sua vida ritmada pela rotina mas então algo puxa o personagem principal desse ramerrame. Será um sonho? Uma dança? Uma fuga da realidade?

Anima teve a sua estreia absoluta em todo o mundo em salas IMAX e está disponível a partir de hoje em streaming na Netflix. O disco, de onze faixas, pode também ser adquirido, a partir de hoje, em formato digital. Estará disponível, em formato físico, a partir de 17 de julho.

Thom Yorke atua no NOS Alive no dia 13 de julho.