Num mundo cada vez mais repleto de serviços de streaming, a NOS lançou esta terça-feira (18) um produto comparativamente físico e tradicional: um canal de televisão, o NOS Studios.

Na posição 16, este é um novo canal premium de cinema, à semelhança dos canais TVCine. É o primeiro canal de emissão contínua dentro da marca NOS e mantém-se exclusivo a clientes da operadora. Está incluído nos pacotes com TV UMA ou pode ser subscrito por cinco euros por mês. Durante o primeiro mês, todos os clientes NOS com box têm acesso.

O canal tradicional vem acompanhado do NOS Studios+, um catálogo on-demand na box da NOS ou na app NOS TV (web e plataformas móveis), onde residirão os filmes depois de passarem no canal.

A programação do canal assenta principalmente em filmes blockbuster de grandes estúdios e filmes premiados com Oscars, dentro dos géneros de ação, romance, drama, comédia e animação.

Imagem: NOS

Em termos de catálogo, a NOS promete 50 filmes a partir de hoje (através do NOS Studios+), e 100 filmes até ao final de julho. A nível de datas de estreia, vão estar equiparadas às estreias dos mesmos filmes nos canais TVCine (cerca de 12 meses depois da sua estreia em cinema).

Regresso ao futuro?

A proposta da NOS pode parecer presa no passado, mas a verdade é que traz alguma diferenciação a este meio em que cada vez mais plataformas disputam os mesmos utilizadores.

O NOS Studios procura trazer um nível de curadoria para tomar partido da natureza linear do canal quando comparado aos serviços on-demand como Netflix, HBO, Amazon Prime Video e o próprio NOS Play, que se mantém completamente independente deste novo serviço.

Isto reflete-se de algumas formas na programação: Existem dias temáticos associados a géneros, estúdios ou sagas: filmes de terror à sexta-feira, animação Disney aos domingos, etc.

Em determinadas ocasiões, vão ser exibidas maratonas de filmes em antecipação de uma estreia em cinema. Um exemplo disto é a maratona Toy Story 1, 2 e 3 que irá decorrer este domingo antes do lançamento do Toy Story 4 nas salas de cinema a 27 de junho.

Duas das sessões dedicadas no canal NOS Studios (Imagem: NOS)

Estes alinhamentos podem ser vistos como playlists: juntam um conjunto de filmes que partilham algo em comum. A aposta da NOS passa por criar uma sensação de “evento” em torno de cada emissão, contextualizando-as em torno de géneros, novas estreias ou outros fatores.