A série já nos deixou. Mas os livros, a história e as curiosidades ainda dão muito pano para mangas. Para que possas ir acompanhando as obras de George R.R. Martin que deram origem à tua série preferida, ou simplesmente para matares saudades de oito temporadas cheias de enredo, fomos, mais uma vez, tentar descobrir alguns factos e detalhes que te vão deixar de boca aberta.

Foi uma noite escura aquela que levou Catelyn e Robb Stark, bem como a sua esposa, ao castelo da família Frey. Voltamos, assim, a um dos episódios mais marcantes de todas as temporadas – o Red Wedding. Muitos fãs dizem que foi aqui que perceberam que GoT não poderia ser previsível. Mas terá este casamento sangrento realmente existido ou ser inspirado em factos reais?

Catelyn Stark em Game of Thrones. Fonte: HBO

Uma disputa pelo poder

Foi na história medieval escocesa que George R.R. Martin se inspirou para escrever um dos momentos mais macabros e sangrentos da história de Westeros. Tal como em Inglaterra, o século XV foi um século complicado na história medieval escocesa. Com apenas 6 anos, Jaime II da Escócia subiu ao trono após a morte suspeita do seu pai. Diz a história que este não era muito respeitado pelos nobres, o que pode ter levado à sua morte. Jaime não foi uma figura apaziguadora, bem pelo contrário, ficando conhecido pelo seu cabelo ruivo, o seu temperamento fervoroso e o seu cognome – “Jaime, cara ardente”.

Naturalmente, não era o pequeno rapaz de 6 anos que governava na prática. Primeiro governou o arquiduque Douglas, que morreu pouco tempo depois de peste negra. Na classe nobre, dois homens iam dividindo entre si algumas tarefas de poder: Sir William Crichton and Sir Alexander Livingston. Mas estes temiam que os filhos do arquiduque Douglas roubassem os seus lugares de poderio.

O filho do arquiduque era Earl William, um jovem promissor de apenas 15 anos, que o rei James idolatrava e adorava. Essa adoração era recíproca e a relação dos dois bastante positiva. Tudo apontava para que William assumisse as funções do pai e se transformasse no governador até James poder reinar. Crichton e Livingston rapidamente se uniram para destruir esta ameaça.

LÊ TAMBÉM: GAME OF THRONES: OS LANNISTER NÃO DEVEM NADA A NINGUÉM

O Jantar negro onde tudo mudou

Alguns historiadores discordam se, a partir daqui, esta história é verdadeira ou pura lenda mas as semelhanças com a série são impressionantes. Os dois homens convidaram Earl William e o seu irmão mais novo para um banquete com o rei, no dia 24 de novembro de 1440. Foram tratados com toda a cortesia quando chegaram ao banquete e tudo aparentava estar bem. Mas todos sabemos como esta história termina.

Os soldados esperando as ordens do Lorde Frey, em Game of Thrones. Fonte: HBO

De repente, ouviram-se gaitas de foles e sons de guerra. Os soldados dos dois homens fecharam todas as saídas, armaram-se. Algumas empregadas traziam em travessas de prata cabeças de touro – na cultura escocesa, uma cabeça de touro simboliza a morte. Os irmãos foram naturalmente mortos, condenados por traição, apesar dos protestos do pequeno rei Jaime que era demasiado novo para o poder impedir.

Foi um dos massacres mais conhecidos da história medieval escocesa e as semelhanças são várias. Mas sabemos hoje que a Guerra dos Tronos nos habituou a isso mesmo – esperar o inesperado.

LÊ TAMBÉM: J.K. ROWLING TRAZ QUATRO NOVOS LIVROS SOBRE O UNIVERSO DE HARRY POTTER