O final de Game Of Thrones dividiu os fãs. Mesmo que haja opiniões diferentes sobre o desfecho da série de fantasia da HBO, as críticas têm sido audíveis um pouco por todas as redes sociais.

A série não é a única com este tipo de reação ao seu final. A televisão já transmitiu muitos programas com conclusões que dececionaram os fãs. É isso mesmo que pretendemos relembrar.

Espalha-Factos apresenta-te uma lista de seis séries com finais dececionantes. Os elementos desta lista receberam todos, a certa altura, aclamação da crítica. Infelizmente, os seus derradeiros momentos não tiveram a mesma sorte.

É importante referir que só as séries que concluíram a sua narrativa é que contam, ou seja, séries canceladas antes do previsto ficam de fora. A ordem foi feita tendo em conta as expetativas e a reação dos fãs, assim como a qualidade em si do desfecho. Vamos, então, recuar nas gravações e recordar alguns exemplos.

AVISO: A seguinte lista contém SPOILERS
Lê também: SETE SÉRIES DA HBO PARA VERES DEPOIS DE GAME OF THRONES

6 – The Sopranos

Um final tão fora da caixa que muitos espetadores pensaram que tinham ficado sem sinal. A série da HBO não teve medo de ser arrojada e até hoje se debate o que verdadeiramente aconteceu.

O protagonista Tony Soprano está sentado num restaurante a jantar com a sua família. Nos instantes que se seguem, algumas pessoas dentro do espaço começam a mexer-se de forma suspeita. A filha de Tony corre, atrasada, para chegar à porta do restaurante. Quando o sino de entrada toca, o protagonista olha para cima e corta para preto.

A incerteza do final súbito deixou muitos fãs confusos. Uma parte ficou impressionada, a outra zangada. Alguns defendem que Tony morreu, outros dizem que se trata apenas de uma reflexão da vida paranóica do mafioso.

O criador David Chaser nunca respondeu às dúvidas dos espetadores e a verdade é que não precisa. O tempo foi bondoso para a conclusão de The Sopranos, hoje aceite como uma decisão provocadora no bom sentido e enquadrada com a série.

É por isso que está no início desta lista. Superado o choque inicial, acabou por ser um bom final. Não se pode dizer o mesmo das séries que vêm a seguir.

5 – Seinfeld

A série “sobre nada” que imortalizou o nome do comediante Jerry Seinfeld é, ainda hoje, reconhecida como das melhores sitcoms de sempre. Infelizmente, o final não esteve ao mesmo nível.

76 milhões de pessoas sintonizaram a televisão para descobrir como o quarteto de amigos ia terminar as suas aventuras. A resposta foi um julgamento que teve o testemunho de personagens secundárias antigas.

As expetativas para concluir a narrativa das personagens foi defraudada por um veredito que condenou os quatro protagonistas à prisão. Uma piada que até encaixa no estilo da série, mas dececionante para a antecipação que o episódio tinha gerado.

4 – House of Cards

Um final tão mau que mereceu não um, mas dois artigos do Espalha-Factos a analisá-lo. O primeiro grande original da Netflix há muito que parecia condenado a ter uma conclusão complicada. Esse fator acaba por impedir uma melhor (ou pior) posição nesta lista. Afinal, o derradeiro episódio apenas confirmou o pior.

Uma reviravolta na narrativa sem lógica, a dependência à personagem ausente de Kevin Spacey, os créditos finais que chegam sem concluir a história. Os minutos finais são um ótimo exemplo de como não se deve concluir uma história.

O olhar de Claire Underwood para a câmara parece mais o olhar da atriz Robin Wright a pedir que a tirem dali. É, talvez, o maior pecado do episódio. Pegar em todo o talento que trabalhou na série e deitá-lo ao lixo.

Lê também: NOS4A2: A NOVA SÉRIE SOBRENATURAL DA AMC COM ZACHARY QUINTO

3 – Dexter

A premissa de Dexter brincou sempre com a ambiguidade moral do seu protagonista. Não é fácil definir se um homicida em série de outros homicidas é um herói ou um vilão. Aparentemente, também não é fácil dar-lhe um final.

Em vez de decidir se o protagonista seria castigado ou não pelas suas ações, os criadores optaram por um meio-termo. Uma ideia que raramente satisfaz a narrativa e neste caso não fugiu da regra. A morte de Debra apenas tornou mais penosa uma conclusão cheia de clichês.

Os momentos finais sugam a emoção da história e deixam os espetadores à espera de mais. É exatamente o oposto do que um final devia fazer.

2 – Lost

Em contraste com The Sopranos, o tempo não fez nada bem ao final de Lost. Se no calor do momento alguns fãs e críticos defenderam as ideias do último episódio, hoje em dia quase todos o assumem como das piores conclusões de sempre para uma série.

O problema principal advém da falta de respostas para os diversos mistérios que a série criou. A falta de tensão e a escrita confusa contribuíram para piorar o cenário.

O projeto de Damon Lindelof foi arruinado pela sua própria intriga, que acabou por não ter um desfecho digno. De certa forma, fez juz ao nome da série.

1 – How I Met Your Mother

As sitcoms parecem ter um problema com finais. A ideia arriscada da última temporada de How I Met Your Mother passar-se durante um casamento podia ter resultado, se as decisões certas tivessem sido tomadas.

Na verdade, tudo parecia encaminhado. Robin ia casar com Barney, Ted ia, finalmente, encontrar a mulher dos seus sonhos e Lily e Marshall eram uma família feliz. E, de repente, tudo foi desfeito. Não ao longo de vários episódios, apenas e só numa única montagem do capítulo final.

Os criadores talvez temessem ser demasiado previsíveis. No entanto, há uma linha que separa o óbvio aborrecido do óbvio que é satisfatório e para o qual a narrativa sempre trabalhou.

Desfazer isso e o investimento dos fãs foi um golpe desastroso. Tão mau que a edição em DVD teve um final alternativo em que os problemas são corrigidos. Não há maior admissão de culpa que essa.

Lê também: CONAN OSIRIS VENCE PRÉMIO DE PIOR INDUMENTÁRIA EM PALCO