No ano de todos os percalços, a União Europeia de Radiodifusão (UER) foi obrigada a emitir um comunicado em que reviu as pontuações dos jurados da Eurovisão. Um erro humano gerou atribuição incorreta de classificações por parte da Bielorrússia.

De acordo com o comunicado da entidade, “o júri bielorrusso foi dispensado [na Grande Final], depois de ter revelado os seus votos na primeira semifinal, o que é contrário às regras do concurso” e, “no sentido de cumprir com os regulamentos de voto do concurso, a UER trabalhou com a digame, parceira no processo de voto, para criar um resultado agregado substituto (baseado no cálculo de resultados de outros países com registos de votos semelhantes)“.

No entanto, depois de seguidas as práticas de auditoria padrão, a organização revela que descobriu que, “devido a um erro humano“, foi usado um “resultado agregado incorreto“. Salvaguarda que isto não teve impacto no cálculo de pontos do televoto dos 41 países participantes e que não altera o vencedor do concurso ou mesmo as quatro primeiras posições.

Todas as alterações foram agora feitas, com a adição da pontuação correta do júri da Bielorrússia. A União Europeia de Radiodifusão, bem como os parceiros digame e Ernst & Young “lamentam profundamente que este erro não tenha sido identificado anteriormente e vão rever os processos de modo a prevenir que isto aconteça novamente.”

Esta é a nova classificação da Eurovisão, estando identificados a negrito os países que sofreram alterações na sua posição e entre parênteses a pontuação anterior. A recolha e tratamento de dados foi feita pelo site ESCPortugal. A Macedónia do Norte passou, assim, a ser a vencedora da votação dos jurados.

1.º Países Baixos – 498 pontos (492)
2.º Itália – 472 pontos (465)
3.º Rússia – 370 pontos (369)
4.º Suíça – 364 pontos (360)
5.º Suécia – 334 pontos (332)
6.º Noruega – 331 pontos (338)
7.º Macedónia do Norte – 305 pontos (295)
8.º Azerbaijão – 302 pontos (297)
9.º Austrália – 284 pontos (285)
10.º Islândia – 232 pontos (234)
11.º República Checa – 157 pontos (157)
12.º Dinamarca – 120 pontos (120)
13.º Chipre – 109 pontos (101)
14.º Malta – 107 pontos (95)
15.º Eslovénia – 105 pontos (105)
16.º França – 105 pontos (105)
17.º Albânia – 90 pontos (90)
18.º Sérvia – 89 pontos (92)
19.º São Marino – 77 pontos (81)
20.º Estónia – 76 pontos (86)
21.º Grécia – 74 pontos (71)
22.º Espanha – 54 pontos (60)
23.º Israel – 35 pontos (47)
24.º Bielorrússia – 31 pontos (31)
25.º Alemanha – 24 pontos (32)
26.º Reino Unido – 11 pontos (16)