A produção do Festival Eurovisão da Canção não conseguiu certificar que a emissão de terça decorrerá sem percalços de ordem técnica, quando questionada sobre o tema pelo Espalha-Factos.

Na sequência de uma semana em que foram várias as delegações a reclamar de problemas técnicos, com os Países Baixos a inclusivamente terem de pedir a deslocação de uma equipa local para apoiar os trabalhos em Telavive; Jon Ola Sand, supervisor executivo do Festival, não conseguiu dar certezas relativamente às condições de realização do evento.

É um programa ao vivo, com tudo o que isso implica“, começou Sand. Adiantou ainda que relativamente ao primeiro ensaio geral, que decorreu na tarde de segunda-feira com problemas técnicos que causaram um atraso superior a 40 minutos, “um ensaio é um ensaio… para os artistas, mas também para os câmaras, para os iluminadores, para todas as pessoas a trabalhar no palco“.

Hoje não tivemos problemas técnicos de maior, mas não, nunca podemos garantir nada num espetáculo ao vivo. Porque há tantas componentes que temos de enfrentar… mas estou confiante que teremos um bom jury show [os júris nacionais avaliam as prestações no segundo ensaio geral, realizado na noite de segunda para terça-feira]“, sublinhou o responsável norueguês.

Israel recebe o Festival Eurovisão da Canção pela terceira vez, tendo antes hospedado as edições de 1979 e 1999. Na edição deste ano têm sido múltiplas as queixas, sendo invocados problemas na realização do espetáculo, na iluminação das performances, nos ajustes do áudio e ainda nas condições dadas aos artistas. De acordo com elementos de várias delegações, a temperatura do ar condicionado no espaço onde circulam os cantores era tão gélida que os responsáveis de cada país foram obrigados a fazer uma queixa conjunta.