Para assinalar esta data especial, o Espalha-Factos reuniu esforços e elaborou uma pequena lista com grandes livros, de cariz “obrigatório”. Se és realmente um grande fã de literatura deves saber apreciar cada palavra, cada página, cada lição e chamada de atenção, cada personagem e cada história das obras que se seguem.

Dos mais clássicos aos mais contemporâneos, dos mais antigos aos mais recentes, há bons livros para todos os gostos e feitios, que não podes mesmo deixar de conhecer e ler pelo menos uma vez. Celebra este Dia Mundial do Livro, lendo uma das nossas sugestões.

Os grandes clássicos da literatura

Embora tenham sido escritos há vários anos, estes livros são muito contemporâneos nas suas ideias e refletem sobre temas que não passam de moda. Os termos utilizados nestas obras não são antiquados, muito pelo contrário, revelam a sabedoria de outros tempos e enriquecem o nosso léxico.

Arrepia-nos a atualidade intrínseca a cada página. Estes livros fazem-nos pensar relativamente à evolução do ser humano, às suas aprendizagens e erros contínuos e à passagem inexorável do tempo.

De questões políticas a sociais e económicas, da guerra à paz, aqui fica esta compilação singela, mas deveras significativa, de algumas das mais belas obras à face da terra.

Mil Novecentos e oitenta e quatro

George Orwell teve a capacidade de ver para além do que conhecia e de prever acontecimentos futuros, o mundo em 1984. A verdade é que embora o livro não traduza, de forma exata, a realidade vivida naquele ano, muito se assemelha a ela.

Uma distopia sem limites, que nos leva numa obscura viagem pelo passado e até pelo presente, visto que a verdade de hoje é colocada em causa e, às vezes, não escapa à censura. Embora pareça surreal o mundo já viveu, ainda que de forma mais leve, o que nos é descrito por Orwell e não está livre de voltar a passar pelo mesmo.

A política e os sistemas políticos ditatoriais são o tema central desta obra, que retrata o medo e as pressões exercidas sobre uma sociedade que vivia abafada pelo poder.

Imagina um passado em constante alteração, um mundo sem amor e compaixão, onde novos pensamentos dão direito à morte. Imaginaste? Agora só tens de ler. Está tudo entre as 327 páginas de 1984 que podes encontrar disponível aqui.

1984- George Orwell- Wook

‘1984’ | Fonte: Wook

O Diário de Anne Frank

Muitos são os livros que falam sobre a Segunda Guerra Mundial, todavia nem todos nos presenteiam com um testemunho tão fidedigno quanto este.

O Diário de Anne Frank apresenta-nos a grande guerra aos olhos de uma vítima, de uma adolescente judia, que viveu dois anos num pequeno anexo secreto, em Amesterdão.

Este tão aclamado diário, publicado pelo pai de Anne em 1947, faz-nos refletir acerca das dificuldades e horrores vividos durante a guerra, mas também acerca da esperança e da força de viver dos judeus.

Em tempos mais adversos, Anne Frank dedicou os seus dias à escrita. O que nos leva a pensar o que faríamos fechados num anexo, sem telemóvel, sem bens materiais, com pouca comida e sem poder, sequer, fazer barulho.

Diário de Anne Frank- Wook

‘Diário de Anne Frank’ | Fonte: Wook

O Rapaz do Pijama às Riscas

O rapaz do pijama às riscas descreve um mundo separado por um ideal racista, por uma promessa de uma vida melhor e por vedações de arame, que mantêm longe das pessoas frias as camaras de gás, dois miúdos de mundos completamente distintos estabelecem uma relação de amizade.

Bruno, movido pela curiosidade, explora os terrenos envolta da sua nova grande casa e, quando se aproxima da vedação de arame, avista um rapaz que aparenta ter a sua idade. Aqui, nasce uma grande relação de amizade, que evidencia a inocência das crianças face às decisões e ao mundo adulto.

Sem interesses políticos, económicos e sociais, os dois rapazes protagonizam uma história de amizade simultaneamente trágica e doce, onde são apresentados pensamentos imaturos e criativos de uma época terrivelmente assustadora.

o rapaz do pijama às riscas

‘O Rapaz do Pijama Às Riscas’ | Fonte: Wook

Livro do Desassossego

Reflexões sobre a religião, a sociedade e as suas interações, sobre a vida e a morte, os direitos e deveres, sobre o partir e o voltar, o sentir e o não sentir, o amar e o não gostar, sobre tudo e sobre nada.

Fernando pessoa, ou melhor, Bernardo Soares, observou cada particularidade do nosso mundo, dos nossos costumes e da nossa forma de viver e oferece-nos a possibilidade de lermos os seus desvaneios.

Esta obra leva-nos numa fascinante viagem ao baú de Pessoa e sabe a várias tardes de conversa, na Brasileira, com um dos maiores génios de sempre.

Se críticas houvesse a fazer eram positivas, mas este é um livro que nos deixa sem palavras. Escrito por um sonhador de vários sonhos, um complicado ser descomplicado, um fingidor que fingia sentir o que sentia, o Livro do Desassossego desassossega-nos a alma.

O Livro do Desassossego - Wook

‘O Livro do Desassossego’ | Fonte: Wook

Cem Anos de Solidão

Traduzida para todas as línguas do mundo, esta obra-prima da literatura conta-nos a fabulosa saga da família Buendía-Iguarán. Entre milagres, fantasias, obsessões, tragédias, incestos, adultérios, rebeldias, descobertas e condenações, vive-se o melhor e o pior da vida.

Uma verdadeira novela mexicana, um enredo tão surpreendente e inesperado como o de Game of Thrones.

Publicado pela primeira vez no ano de 1967, este romance traduz-se numa metáfora do isolamento e da esperança da América Latina.

Se tivéssemos de resumir numa simples frase toda a obra seria “o mundo dá muitas voltas”. Gabriel García Márquez brinca com o tempo como quem brinca com um boneco em Cem Anos de Solidão.

Cem anos de solidão- Wook

‘Cem Anos de Solidão’ | Fonte: Wook

Papillon

Esta é uma história verídica, que nos fala acerca de Papillon, um homem que mesmo entre as maiores adversidades não desiste da vida e luta pelos seus ideias de justiça, amizade e fé.

Uma vítima condenada injustamente a prisão perpétua numa colónia penal, que não se deixa abalar e procura uma forma de escapar ao seu cruel destino, em busca da tão desejada e merecida liberdade.

A história é contada ao pormenor e na primeira pessoa, uma vez que quem a conta é o próprio Papillon, mais conhecido por Henri Charrière.

A odisseia de Papillon está disponível aqui.

Papillon - Wook

‘Papillon’ | Fonte: Wook

LÊ TAMBÉM: DIA MUNDIAL DO LIVRO: 10 DOS LIVROS MAIS POLÉMICOS DE SEMPRE

Menos clássicos, mas igualmente dignos de leitura

A Lentidão

O que se pode dizer de A Lentidão, e em particular da sua mensagem, é que é quase obrigatória nos dias de hoje. Milan Kundera cruza um romance do século XVIII com uma viagem que faz com a sua esposa a um castelo em França, colocando passado e presente de mãos dadas numa conferência de entomologistas que toma lugar num dos seus salões.

É através do enlace labiríntico entre as histórias dessas personagens (em particular de duas histórias de amor separadas por dois séculos) que Kundera nos conduz a uma reflexão sobre os ritmos contemporâneos, o vínculo profundo entre memória e lentidão, e as consequências da aceleração quotidiana, brincando com o tempo como se de um elástico se tratasse.

‘A Lentidão’ | Fonte: Wook

Indignai-vos!

Sobreviveu aos campos de concentração nazis, colaborou na redação da Declaração Universal dos Direitos do Homem e foi combatente da Resistência Francesa. Stéphane Hessel convida-nos, neste pequeno mas maravilhoso livro, a indignarmo-nos perante o mundo em que vivemos hoje.

Hessel escreveu: “A minha longa vida deu-me uma série de motivos para me indignar”. E certamente também nós nos podemos revoltar pacificamente contras as afrontas à liberdade e dignidade humanas, as injustiçãs sociais, a decadência do equilibrio ambiental, a exploração do mercado. Esta é uma ode ao não-conformismo e à luta por um mundo melhor.

Estás disposto a mergulhar em palavras de revolução? Podes adquirir a obra Indignai-vos! aqui.

‘Indignai-vos!’ | Fonte: Wook

Um, ninguém e cem mil

Nesta obra, Luigi Pirandello, dramaturgo, conta-nos a história de Vitangelo Moscarda. Pai e banqueiro de sucesso, é assaltado pela revelação de que o seu nariz, sendo ligeiramente torto, pende para o lado direito. Após a observação da sua mulher acerca de uma aparentemente banal imperfeição fisica, Vitangelo muda radicalmente o seu comportamento, embarcando numa desconcertante viagem por um ‘eu’ ainda desconhecido.

Escrito por um Nobel da Literatura e reconhecido como um marco de originalidade na Literatura do século XX, Um, ninguém e cem mil faz-nos também, enquanto leitores, embarcar numa busca pela identidade, através do contacto com o eterno estrangeiro que habita em todos nós.

‘Um, ninguém e cem mil’ | Fonte: Fnac

Siddhartha

As suas linhas têm como inspiração o tempo em que Hermann Hesse viveu na Índia, no inicio do século XX, onde teve contacto com a tradição de Siddharta Gautama, o Buda. A partir daí, Hesse escreveu este pequeno grande livro que nos dá a conhecer a história de Siddharta, um jovem indiano que sempre vivera distante das misérias do mundo. Mas a certa altura abdica da sua vida luxuosa e parte em peregrinação por um país que até então desconhecia.

Depois de conhecer a pobreza, o sofrimento, o jejum absoluto, mas também as mais intensas experiências hedonistas, Siddharta termina a sua longa jornada encontrando o equilíbrio e a paz interior. Siddhartha é, por isso, um livro cuja busca que ele narra é também um pouco nossa, ainda que noutros séculos e “Índias” por aí.

‘Siddhartha’ | Fonte: Fnac

Sapiens: História Breve da Humanidade

Yuval Noah Harari, professor e historiador, recorre a conhecimentos antropológicos, sociológicos e paleontológicos para explicar, de forma sucinta e acessível, as principais trsnsformações evolutivas desde a Idade da Pedra ao século XXI.

Num momento histórico, no qual nos confrontamos com o esbatimento das fronteiras entre o ser humano e a tecnologia (devido à Inteligência Artificial), no qual nos questionamos sobre o impacto das suas atividades e o seu lugar na Terra, é particularmente pertinente compreender a nossa evolução até aos dias de hoje, de forma a podermos projetar um futuro melhor.

Curioso para descobrir a tua História? Encontra-a aqui, onde também podes encontrar os dois outros livros que lhe seguiram.

‘Sapiens: História Breve da Humanidade’ | Fonte: Wook

Escrito por Catarina Costa Augusto e Rita Madeira.

Lê também: PASSEIO LITERÁRIO DESVENDA LISBOA DE OS MAIAS